Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

mercado financeiro

- Publicada em 19h59min, 01/07/2020. Alterada em 19h59min, 01/07/2020.

Bolsas de Nova Iorque ficam sem sinal único, mas Nasdaq registra recorde de fechamento

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,30%, em 25.735,45 pontos

O índice Dow Jones fechou em queda de 0,30%, em 25.735,45 pontos


BRYAN R. SMITH/AFP/JC
As bolsas de Nova Iorque fecharam na maioria em alta nesta quarta-feira (1), porém sem sinal único. notícias de avanços na busca por uma vacina eficiente contra a Covid-19 animaram investidores, mas continuou a haver atenção para o risco de novas ondas da doença, prejudicando a retomada econômica. Além disso, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) renovou o compromisso de apoiar o quadro e também mencionou a bonança recente do mercado acionário americano, na ata de sua última reunião.
As bolsas de Nova Iorque fecharam na maioria em alta nesta quarta-feira (1), porém sem sinal único. notícias de avanços na busca por uma vacina eficiente contra a Covid-19 animaram investidores, mas continuou a haver atenção para o risco de novas ondas da doença, prejudicando a retomada econômica. Além disso, o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) renovou o compromisso de apoiar o quadro e também mencionou a bonança recente do mercado acionário americano, na ata de sua última reunião.
O índice Dow Jones fechou em queda de 0,30%, em 25.735,45 pontos, o Nasdaq subiu 0,95%, a 10.154,63 pontos, renovando a máxima histórica de fechamento, e o S&P 500 avançou 0,50%, para 3.115,93 pontos.
Com o setor de serviços de comunicação em destaque, o Nasdaq atingiu o recorde de fechamento mesmo em meio a dúvidas sobre a retomada econômica. O índice tem sido apoiado também pela força de ações de tecnologia, com a percepção de que essas empresas podem lidar melhor com as mudanças sociais decorrentes da pandemia, mantendo seus lucros. Hoje, Amazon se destacou com alta de 4,35%, Alphabet subiu 1,69%, Facebook ganhou 4,62% e Microsoft, 0,58%, mas Apple caiu 0,19%.
Notícias de avanços nas pesquisas por duas vacinas para o novo coronavírus, uma que tem a Pfizer entre os responsáveis e outra da Universidade Oxford, ajudaram o humor dos investidores. As notícias de riscos à atividade por uma segunda onda da Covid-19, porém, continuaram no radar.
Além disso, o Fed reafirmou que manterá o apoio, no quadro atual, sem pressa alguma de elevar os juros. O NatWest disse que a ata da reunião de 9 e 10 de junho mostrou que os dirigentes do BC americano debateram possíveis instrumentos para avançar nesse apoio, entre eles uma possível diretriz ("forward guidance") mais estrita para a política monetária.
Já o presidente americano, Donald Trump, prometeu um anúncio em breve sobre salários mínimos, sem detalhar, e se mostrou mais contente com a atuação do banco central americano. Em sua ata, o Fed apontou que os preços das ações têm sido apoiados atualmente pela expectativa de avanços nos lucros da empresas em 2021, pelos juros baixos e pelo "sentimento de risco positivo".
Comentários CORRIGIR TEXTO