Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

VAREJO

- Publicada em 19h32min, 29/06/2020. Alterada em 00h21min, 30/06/2020.

Governo gaúcho altera protocolos de setores do comércio, da educação e de serviços

Entre as mudanças permitidas estão telentrega e comércio eletrônico para as lojas de rua e shoppings

Entre as mudanças permitidas estão telentrega e comércio eletrônico para as lojas de rua e shoppings


MARCO QUINTANA/JC
Além de apresentar o novo mapa do distanciamento controlado, na tarde desta segunda-feira (29), o governador Eduardo Leite anunciou alterações em três protocolos segmentados que valem para as regiões com mais restrições de atividades e atingem os setores do varejo não essencial, o comércio de combustíveis, as academias e clubes esportivos e os estabelecimentos educacionais.
Além de apresentar o novo mapa do distanciamento controlado, na tarde desta segunda-feira (29), o governador Eduardo Leite anunciou alterações em três protocolos segmentados que valem para as regiões com mais restrições de atividades e atingem os setores do varejo não essencial, o comércio de combustíveis, as academias e clubes esportivos e os estabelecimentos educacionais.
 
Por meio da nova definição, passa a ser permitido ao comércio varejista não essencial (de rua, centro comercial e shopping) a prática de telentrega e de comércio eletrônico na bandeira vermelha, e para o comércio de combustíveis passa a valer um maior teto de operação, permitindo que 50% dos funcionários possam trabalhar sob bandeira vermelha e 75% na bandeira preta.
Já na educação, foi liberada a realização do estágio final obrigatório para estudantes da área da saúde, de cursos técnicos e superiores, tanto nas bandeiras vermelha como preta, respeitando o teto de 50% dos alunos e 50% dos trabalhadores.
Para os segmentos de clubes e academias a mudança se dará na redação final do modo de atendimento permitido, que passa a considerar um cliente a cada 16 metros quadrados por pessoa, no mínimo.
Comentários CORRIGIR TEXTO