Porto Alegre, segunda-feira, 29 de junho de 2020.
Dia da Telefonista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 29 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 29/06 às 17h02min

Ouro fecha em alta com busca por segurança ante aumento da covid-19 nos EUA

Na Comex, o ouro para agosto encerrou em alta de 0,05%, a US$ 1.781,20 a onça-troy

Na Comex, o ouro para agosto encerrou em alta de 0,05%, a US$ 1.781,20 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
O contrato futuro mais líquido de ouro fechou em alta nesta segunda-feira (29), com investidores ainda buscando a segurança do metal precioso ao ser confrontados com a velocidade com que os casos de Covid-19 retornam nos Estados Unidos e na América Latina. Com juros baixos e rendimentos de Treasuries menos atrativos, os investidores ainda partem para a segurança do metal, mesmo com mercado de ações no azul, avaliam economistas.
O contrato futuro mais líquido de ouro fechou em alta nesta segunda-feira (29), com investidores ainda buscando a segurança do metal precioso ao ser confrontados com a velocidade com que os casos de Covid-19 retornam nos Estados Unidos e na América Latina. Com juros baixos e rendimentos de Treasuries menos atrativos, os investidores ainda partem para a segurança do metal, mesmo com mercado de ações no azul, avaliam economistas.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange, o ouro para agosto encerrou em alta de 0,05%, a US$ 1.781,20 a onça-troy.
<div style="text-align: center;"><a href="https://www.jornaldocomerciocampanha.com/" target="_blank" rel="noopener noreferrer"><img src="https://www.jornaldocomercio.com/imagens/87anos40050materias.png" width="400" height="50" align="middle" /></a></div>
Apesar das notícias de sucesso em testes de vacina, que estão apoiando um otimismo contido no mercado acionário hoje, "a aversão ao risco retornou", afirma o Commerzbank. "Os mercados de ações estão sob pressão devido ao aumento de novos casos de coronavírus nos EUA e na América Latina. A situação sugere que o ouro continuará em sua trajetória ascendente nesta semana", aponta.
O número de mortos pela pandemia de coronavírus ultrapassou 500 mil e as infecções atingiram 10 milhões neste fim de semana, segundo dados compilados por pesquisadores da Universidade Johns Hopkins.
"Riscos persistentes nos mercados globais e rendimentos de títulos do governo deslizantes continuam empurrando o capital para o ouro", escreveu Ipek Ozkardeskaya, analista sênior do Swissquote Bank, em relatório desta segunda-feira.

<div><strong>&gt;</strong> <span style="color: #3366ff;"><strong><span style="text-decoration: underline;"><a style="color: #3366ff; text-decoration: underline;" href="https://www.jornaldocomercio.com/index.php?id=/especiais/coronavirus/index.php" target="_blank" rel="noopener noreferrer">Confira a cobertura completa da pandemia de coronav&iacute;rus</a></span></strong></span></div>
Comentários