Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

TRANSPORTES

- Publicada em 16h17min, 29/06/2020. Atualizada em 16h33min, 29/06/2020.

Setor de transporte registra queda recorde no Brasil em abril, aponta CNT

Segmento aéreo foi o mais impactado pela pandemia, queda de 77,2% em relação a abril de 2019

Segmento aéreo foi o mais impactado pela pandemia, queda de 77,2% em relação a abril de 2019


Bilal EL-Daou/divulgação/pixabay/jc
O setor de transporte registrou no País, em abril de 2020, retração de 21,2%, em relação a abril de 2019, e de 17,8%, na comparação com março deste ano. Ambos os resultados correspondem ao pior desempenho no volume de serviços prestados pelo setor de transporte, armazenagem e correio na série histórica, iniciada em fevereiro de 2011.
O setor de transporte registrou no País, em abril de 2020, retração de 21,2%, em relação a abril de 2019, e de 17,8%, na comparação com março deste ano. Ambos os resultados correspondem ao pior desempenho no volume de serviços prestados pelo setor de transporte, armazenagem e correio na série histórica, iniciada em fevereiro de 2011.
Os números constam da nova edição do boletim Economia em Foco, da Confederação Nacional do Transporte (CNT), divulgado nesta segunda-feira (29), que utiliza dados da Pesquisa Mensal de Serviços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo o estudo, o segmento mais atingido foi o de transporte aéreo, que teve queda de 77,2%, na comparação com abril de 2019, e de 73,8%, em relação a março de 2020 - a maior redução da série histórica. O transporte terrestre também registrou seu pior desempenho e teve queda de 28,5%, em relação a abril de 2019, e de 20,6%, na comparação com março deste ano.
O setor só não obteve um resultado pior porque, em abril, o volume transportado nas ferrovias brasileiras, mensurado em Toneladas Úteis (TU), cresceu 18,9%, tanto na comparação com abril de 2019 quanto em relação a março deste ano. Além disso, o aquaviário cresceu 16,3% em abril de 2020, se comparado com o mesmo período de 2019, e ficou praticamente estável (-0,1%) em relação a março de 2020.
De acordo com a análise da CNT, os dados mostram uma realidade que já havia sido alertada nas três rodadas da Pesquisa de Impacto no Transporte - Covid-19, realizadas desde o início da pandemia "A pandemia provocou retrações históricas no volume de demanda das empresas transportadoras, levando-as a operar em um nível crítico que, do ponto de vista financeiro, não se sustenta no tempo", destaca a análise da entidade.
Comentários CORRIGIR TEXTO