Porto Alegre, segunda-feira, 29 de junho de 2020.
Dia da Telefonista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 29 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado financeiro

29/06/2020 - 13h53min. Alterada em 29/06 às 13h57min

Bolsas da Europa fecham em alta com potencial vacina contra Covid-19

Índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou com ganho de 0,44% nesta segunda-feira

Índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou com ganho de 0,44% nesta segunda-feira


MIGUEL MEDINA/AFP/JC
As bolsas da Europa fecharam em alta nesta segunda-feira (29) enquanto investidores aproveitaram a agenda econômica relativamente esvaziada para acertar correções às fortes perdas registradas na semana passada. Embora o acelerado avanço do coronavírus ainda seja foco de preocupação, o avanço na pesquisa chinesa para o desenvolvimento de uma vacina contra a doença ajudou a aquecer os negócios. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou com ganho de 0,44%, a 359,89 pontos.
As bolsas da Europa fecharam em alta nesta segunda-feira (29) enquanto investidores aproveitaram a agenda econômica relativamente esvaziada para acertar correções às fortes perdas registradas na semana passada. Embora o acelerado avanço do coronavírus ainda seja foco de preocupação, o avanço na pesquisa chinesa para o desenvolvimento de uma vacina contra a doença ajudou a aquecer os negócios. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou com ganho de 0,44%, a 359,89 pontos.
No final de semana, o número de casos da Covid-19 ultrapassou a marca de 10 milhões no mundo, com o volume de óbitos superando a barreira dos 500 mil. A situação é particularmente preocupante nos Estados Unidos, que tiveram ontem o maior avanço diário da epidemia, com 44.703 diagnósticos confirmados em 24 horas.
Mesmo assim, as ações encontraram espaço para operar no positivo hoje, o que, na avaliação da Natwest, indica que a piora da pandemia já estava precificada na sessão de sexta-feira, quando os mercados registraram robustas quedas. Com isso, em Londres, o índice FTSE 100 encerrou com alta de 1,08%, a 6.225,77 pontos, enquanto, em Paris, o CAC 40 avançou 4.945,46 pontos.
Investidores repercutiram também o anúncio do grupo farmacêutico China National Biotec Group de que uma vacina contra o vírus está em desenvolvimento e já imunizou mais de 1.100 pessoas - todas desenvolveram anticorpos. Os índices acionários europeus foram ainda na esteira das bolsas americanas, que responderam bem à surpreendente alta nas vendas de imóveis pendentes, que subiram 44,3% em março, enquanto o mercado esperava ganho de 15%.
Em Frankfurt, o DAX avançou 1,18%, a 12.2232,12 pontos. Em carta enviada ao Parlamento Alemão, o ministro das finanças do país, Olaf Scholz, declarou apoio ao programa de compra de títulos do Banco Central Europeu (BCE), questionado pela Justiça local. A presidente do BCE, Christine Lagarde, também voltou a demonstrar confiança de que o processo chegará ao fim com uma decisão favorável à autoridade monetária.
Ainda em Franfkurt, a ação da Wirecard disparou 154,49%, após a operadora de pagamentos informar que continuará com seus serviços, mesmo depois de ter declarado insolvência na semana passada. A companhia protagoniza um escândalo contábil bilionário que levou à demissão e à prisão de seu principal executivo, o ex-CEO Markus Braun.
Nas demais praças, o índice FTSE MIB, de Milão, teve alta de 1,69%, a 19.447,02.
Em Madri, o Ibex 35 ganhou 1,39%, a 7.278,10 pontos e, em Lisboa, o PSI 20 subiu 0,77%, a 4.392,67 pontos.
Comentários