Porto Alegre, sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Dia do Trânsito.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mercado financeiro

- Publicada em 13h20min, 25/05/2020.

Bolsas da Europa fecham em alta com foco em reabertura da economia

Índice Stoxx 600 fechou em alta de 1,38%

Índice Stoxx 600 fechou em alta de 1,38%


GABRIELA DI BELLA/ARQUIVO/JC
As bolsas da Europa fecharam nesta segunda-feira (25) com fortes ganhos,enquanto investidores acompanham os processos de relaxamento das medidas de distanciamento social impostas pela pandemia de coronavírus. Em um dia de liquidez reduzida, com mercados fechados no Reino Unido e nos Estados Unidos, por conta de feriados locais, o índice Stoxx 600 encerrou em alta de 1,38%, a 344.87 pontos.
As bolsas da Europa fecharam nesta segunda-feira (25) com fortes ganhos,enquanto investidores acompanham os processos de relaxamento das medidas de distanciamento social impostas pela pandemia de coronavírus. Em um dia de liquidez reduzida, com mercados fechados no Reino Unido e nos Estados Unidos, por conta de feriados locais, o índice Stoxx 600 encerrou em alta de 1,38%, a 344.87 pontos.
Na Bolsa de Frankfurt, o DAX subiu 2,87%, a 11.391,28 pontos. Na Alemanha, onde a reabertura gradual começou há duas semanas, o retorno das atividades já tem reflexos nos indicadores econômicos. Segundo pesquisa instituo Ifo, divulgada hoje, o índice de sentimento das empresas alemãs subiu da mínima histórica de 74,2 pontos em abril para 79,5 pontos em maio.
"A alta foi liderada pelas expectativas, à medida que o país está paulatinamente reabrindo e a atividade econômica se recuperando", explica o Morgan Stanley, em relatório enviado a clientes.
A Europa tem registrado uma consistente queda no número de casos de covid-19 nas últimas semanas, o que abre caminho para o afrouxamento das restrições de movimento.
A Itália, que chegou a ser epicentro da pandemia no continente, confirmou ontem 50 novas mortes em decorrência de complicações da doença, o menor avanço desde o início do surto. Com o otimismo, em Milão, o índice FTSE MIB avançou 2,98%, a 17.595,90 pontos.
A França, que também observa contínua desaceleração da epidemia, se prepara para iniciar a segunda fase do chamado "desconfinamento" em 2 de junho, quando serão reabertos bares e restaurantes em regiões de menor risco.
Na Bolsa de Paris, o CAC 40 ganhou 2,15%, 4.539,91 pontos. A ação da Renault acompanhou o movimento ascendente e saltou 3,72%, no momento em que a montadora negocia com o governo francês um possível socorro estatal. O ministro das Finanças do país, Bruno Le Maire, disse hoje que a empresa terá a opção de ajustar sua produção e não precisará manter todas suas fábricas abertas.
Em Madrid, o Ibex 35 encerrou em alta de 2,38%, a 6.856,80 pontos, enquanto, em Lisboa, o PSI 20 avançou 0,84%, a 4.276,97 pontos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO