Porto Alegre, quarta-feira, 20 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 20 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado financeiro

Alterada em 20/05 às 08h08min

Bolsas asiáticas sobem majoritariamente, impulsionadas por fatores locais

Bolsas asiáticas tiveram alta mesmo com dúvidas sobre possível tratamento para Covid-19

Bolsas asiáticas tiveram alta mesmo com dúvidas sobre possível tratamento para Covid-19


FRED DUFOUR/AFP/JC
As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam majoritariamente em alta nesta quarta-feira (20), impulsionadas por fatores locais e apesar de terem surgido dúvidas sobre um possível tratamento para o coronavírus e de o banco central chinês ter mantido juros inalterados.
As bolsas da Ásia e do Pacífico fecharam majoritariamente em alta nesta quarta-feira (20), impulsionadas por fatores locais e apesar de terem surgido dúvidas sobre um possível tratamento para o coronavírus e de o banco central chinês ter mantido juros inalterados.
O índice japonês Nikkei subiu 0,79% em Tóquio, a 20.595,15 pontos, favorecido por ações dos segmentos de saúde e de eletrônicos em meio a iniciativas de vários países de reverter quarentenas motivadas pela Covid-19, enquanto o sul-coreano Kospi avançou 0,46% em Seul, a 1.989,64 pontos, após notícia de que a Coreia do Sul vai criar um instrumento com recursos equivalentes a mais de US$ 8 bilhões para comprar dívida corporativa de alto risco.
Já na China continental, os mercados acionários ficaram no vermelho após o PBoC - como é conhecido o BC do país - decidir deixar seus juros de referência para empréstimos nos níveis atuais e em clima de cautela antes da reunião anual do legislativo chinês, que começa na sexta-feira (22). O Xangai Composto caiu 0,51%, a 2.883,74 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto recuou 0,97%, a 1.805,86 pontos.
O PBoC manteve a chamada LPR de um ano em 3,85% e a LPR para empréstimos de cinco anos ou de prazos mais longos, em 4,65%. As LPRs são revisadas mensalmente. Em outras partes da Ásia, o Hang Seng registrou alta marginal de 0,05% em Hong Kong, a 24.399,95 pontos, com o apoio de ações de tecnologia, e o Taiex subiu 0,44% em Taiwan, a 10.907,80 pontos.
O tom positivo na região asiática predominou, apesar de especialistas terem levantado dúvidas ontem sobre uma vacina para Covid-19 desenvolvida pela Moderna. No começo da semana, a empresa de biotecnologia americana anunciou resultados positivos em testes iniciais.
Na Oceania, a bolsa australiana encerrou os negócios em alta moderada, recuperando-se de perdas do começo do pregão. O S&P/ASX 200 avançou 0,24% em Sydney, a 5.573,00 pontos.
Comentários