Porto Alegre, segunda-feira, 18 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 18 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado financeiro

18/05/2020 - 14h22min. Alterada em 18/05 às 14h22min

Bolsas da Europa fecham em forte alta, com reabertura, possível vacina e fundo

Índice Stoxx fechou em alta de 4,07%

Índice Stoxx fechou em alta de 4,07%


GABRIELA DI BELLA/ARQUIVO/JC
As bolsas da Europa fecharam em forte alta nesta segunda-feira (18). O anúncio da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e do presidente da França, Emmanuel Macron, de um fundo conjunto de 500 bilhões de euros para combater os impactos da Covid-19 impulsionaram o mercado acionário no continente nos últimos minutos do pregão. Os investidores, no entanto, já estavam otimistas com os processos de reabertura econômica e avanços em testes realizados pela empresa farmacêutica Moderna para uma vacina contra o coronavírus.
As bolsas da Europa fecharam em forte alta nesta segunda-feira (18). O anúncio da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, e do presidente da França, Emmanuel Macron, de um fundo conjunto de 500 bilhões de euros para combater os impactos da Covid-19 impulsionaram o mercado acionário no continente nos últimos minutos do pregão. Os investidores, no entanto, já estavam otimistas com os processos de reabertura econômica e avanços em testes realizados pela empresa farmacêutica Moderna para uma vacina contra o coronavírus.
Com isso, o índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 4,07%, em 341,59 pontos.
A continuidade dos processos de relaxamento gradual nas quarentenas em países europeus e nos Estados Unidos garantiu no início do pregão o otimismo dos investidores e também impulsionou o petróleo.
A informação da farmacêutica Moderna de que obteve "dados positivos" em testes iniciais com 45 pessoas para a vacina contra a Covid-19 fortaleceu ainda mais o movimento de alta das bolsas.
No final da sessão, o anúncio do fundo conjunto da França e da Alemanha para combater a crise deu mais ânimo aos investidores. "Nosso objetivo é que a Europa saia da crise ainda mais forte", declarou Angela Merkel.
Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 4,29%, em 6.048,59 pontos. No Reino Unido, órgãos de defesa da concorrência buscam poderes para combater especulação com o coronavírus.
Em Frankfurt, o índice DAX subiu 5,67%, a 11.058,87 pontos. As ações da Daimler subiram 11,37%, as do Deutsche Bank avançaram 9,75% e as da Volkswagen, 9,13%.
Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 avançou 5,16%, para 4.498,34 pontos. Na França, a indústria automotiva receberá um plano de auxílio para impulsionar o consumo. Os papéis da Renault subiram 8,70% e os da Peugeot, 6,56%.
Em Milão, o índice FTSE MIB ganhou 3,26%, a 17.401,45 pontos. Na Bolsa de Madri, o IBEX-35 subiu 4,70%, a 6.779,30 pontos. Em Lisboa, o índice PSI-20 registrou ganho de 4,62%, a 4.180,22 pontos.
 
Comentários