Porto Alegre, quinta-feira, 14 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 14 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 14/05 às 16h28min

Ouro fecha em alta com busca por segurança, com mercados acionários sob pressão

Na Comex, o ouro para julho encerrou em alta de 1,43%, a US$ 1.740,90 a onça-troy

Na Comex, o ouro para julho encerrou em alta de 1,43%, a US$ 1.740,90 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
Os contratos futuros de ouro fecharam novamente em alta, nesta quinta-feira (14), com investidores correndo para a segurança do metal precioso, ainda refletindo o mau humor desencadeado pelo presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, nesta quarta (13), que expressou considerável ceticismo sobre o futuro desenvolvimento da economia americana. Os preços encontraram apoio em meio a taxas de retornos mais baixas nos bônus, mesmo com Jerome Powell rejeitando a ideia de juros negativos.
Os contratos futuros de ouro fecharam novamente em alta, nesta quinta-feira (14), com investidores correndo para a segurança do metal precioso, ainda refletindo o mau humor desencadeado pelo presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, nesta quarta (13), que expressou considerável ceticismo sobre o futuro desenvolvimento da economia americana. Os preços encontraram apoio em meio a taxas de retornos mais baixas nos bônus, mesmo com Jerome Powell rejeitando a ideia de juros negativos.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro para julho encerrou em alta de 1,43%, a US$ 1.740,90 a onça-troy.
Em relatório enviado a clientes, o Commerzbank avalia que o tom negativo de Powell ontem "anulou seriamente as esperanças de muitos participantes do mercado que acreditavam que a economia experimentaria uma recuperação em forma de V".
Segundo Carsten Fritsch, analista do banco alemão, embora o presidente do Fed tenha rejeitado a ideia de taxas de juros negativas nos EUA, "os Fed Fund Futures ainda estão precificando certa probabilidade de que isso aconteça no início de 2021". "O presidente Trump também pressiona nessa direção", alerta Fritsch.
O Citi também acredita que a possibilidade de juros negativos ainda movimenta o mercado. "Embora seja uma declaração bastante forte de Powell, ele parou de descartar completamente as taxas negativas em qualquer circunstância e portanto permanece o preço de uma pequena probabilidade de juros levemente negativos, em meados de 2021", diz o banco.
Comentários