Porto Alegre, segunda-feira, 11 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
segunda-feira, 11 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Conjuntura

Alterada em 11/05 às 09h28min

Inflação de Porto Alegre fica zerada na primeira semana de maio, mostra FGV

Apenas o grupo Vestuário registrou alta entre as classes que compõem o indicador

Apenas o grupo Vestuário registrou alta entre as classes que compõem o indicador


LUIZA PRADO/JC
A inflação de Porto Alegre medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semana (IPC-S) mostrou alívio na primeira semana de maio, saindo de 0,27% na leitura anterior para zero. Isso significa que o nível de preços ficou estável no período. A divulgação do dado foi feita nesta segunda-feira (11) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). No geral, o IPC-S intensificou a deflação, de -0,18% para -0,34%.
A inflação de Porto Alegre medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semana (IPC-S) mostrou alívio na primeira semana de maio, saindo de 0,27% na leitura anterior para zero. Isso significa que o nível de preços ficou estável no período. A divulgação do dado foi feita nesta segunda-feira (11) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). No geral, o IPC-S intensificou a deflação, de -0,18% para -0,34%.
Sete das oito classes de despesa que compõem o indicador registram queda em Porto Alegre. Somente o grupo Vestuário apresentou acréscimo (-0,45% para -0,23%), mas, ainda assim, permaneceu no negativo.
Seis das sete capitais capitais pesquisadas pela FGV tiveram queda na inflação. A maior queda foi registrada em Brasília (de -0,71% para -0,88%). Em seguida, aparece São Paulo (de 0,61% para -0,46%). Também aprofundaram a queda Belo Horizonte (-0,16% para -0,33%) e Recife (-0,01% para -0,17%). Junto com Porto Alegre, Rio de Janeiro também mostrou alívio nas taxas, mas não deflacionou (0,16% para 0,06%)
A tabela a seguir mostra as variações do IPC-S nas capitais pesquisadas:
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/png/2020/05/11/206x137/1_resumocap-9053604.png', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5eb93a2c86dd0', 'cd_midia':9053604, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/png/2020/05/11/resumocap-9053604.png', 'ds_midia': 'IPC-S Capitais 11/5 FGV.', 'ds_midia_credi': 'FGV IBRE/JC', 'ds_midia_titlo': 'IPC-S Capitais 11/5 FGV.', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '289', 'align': 'Left'}
Comentários