Porto Alegre, sexta-feira, 08 de maio de 2020.
Dia do Profissional de Marketing.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 08 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Conjuntura

Notícia da edição impressa de 08/05/2020. Alterada em 08/05 às 03h00min

Adesão a financiamento da folha de salários dobra

Até a última segunda-feira, 19.304 empresas haviam tomado empréstimo para financiamento de suas folhas de pagamento, o equivalente a R$ 413,4 milhões. Ao todo, 304.091 empregados foram beneficiados. Os dados foram divulgados pelo Banco Central (BC) nesta quinta-feira.
Até a última segunda-feira, 19.304 empresas haviam tomado empréstimo para financiamento de suas folhas de pagamento, o equivalente a R$ 413,4 milhões. Ao todo, 304.091 empregados foram beneficiados. Os dados foram divulgados pelo Banco Central (BC) nesta quinta-feira.
O número de empresas que aderiram à linha emergencial criada pelo governo como medida de enfrentamento à crise gerada pela pandemia da Covid-19 mais que dobrou em uma semana, mas permanece abaixo das estimativas do governo.
Em uma semana, 9.850 empresas entraram no programa. Até 27 de abril, apenas 9.454 empreendimentos tinham pegado crédito subsidiado para financiamento das folhas de pagamento, o equivalente a R$ 156 milhões.
Quando o programa foi lançado, em 27 de março, o BC estimou que cerca de 12 milhões de pessoas e 1,4 milhão de empresas seriam contemplados. A estimativa do governo é de liberação de
R$ 40 bilhões em crédito para que as empresas paguem os salários dos funcionários durante o período de isolamento social.
A maior parte dos empréstimos para cobrir folhas de pagamento foram para trabalhadores do setor de serviços, com 28,76%. Em segundo lugar estão os empregados do setor de construção, madeira e móveis, com 14,65% contemplados. Saúde, saneamento e educação aparecem em terceiro lugar, com 11,75%.
O Itaú foi o banco que mais concedeu empréstimos nessa modalidade, com o financiamento de 96.490 salários. O Bradesco veio em seguida, com 74.964. Pelo Santander, 57.012 empregados foram contemplados.
Comentários