Porto Alegre, sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Dia do Trânsito.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

MERCADO FINANCEIRO

- Publicada em 10h07min, 01/05/2020.

Bolsa de Tóquio fecha em queda, em dia de feriado em boa parte da Ásia

A Bolsa de Tóquio fechou em baixa nesta sexta-feira (1), em dia de feriado sem operações nos mercados em boa parte da Ásia. Entre os investidores presentes, houve cautela com os impactos do coronavírus na economia e também com as ameaças de retaliação com tarifas feitas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contra a China.
A Bolsa de Tóquio fechou em baixa nesta sexta-feira (1), em dia de feriado sem operações nos mercados em boa parte da Ásia. Entre os investidores presentes, houve cautela com os impactos do coronavírus na economia e também com as ameaças de retaliação com tarifas feitas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contra a China.
Os mercados da China, de Hong Kong, da Coreia do Sul e de Taiwan não operaram, pelo feriado. Já no Japão, repercutiu a ameaça de Trump feita após os fechamentos de Nova York ontem contra a China. O presidente americano disse que o governo de Pequim poderia ser responsabilizado pela pandemia global e chegou a insinuar que a disseminação do vírus pode ter sido proposital.
Em Tóquio, o índice Nikkei fechou em queda de 2,84%, em 19.619,35 pontos. Houve temor pelo estrago causado pela pandemia nos resultados das empresas. A seguradora Tokio Marine Holdings caiu 6,8%, West Japan Railway recuou 6,7% e Honda Motor, 5,9%. A fabricante de microchips Tokyo Electron fechou em baixa de 5,5%, após seu lucro líquido no balanço mais recente recuar 11% na comparação anual.
Na Oceania, o índice S&P/ASX fechou em queda de 5,01%, em 5.245,90 pontos, na Bolsa de Sydney, em sua pior sessão em cinco semanas. Além do noticiário do mundo, contribuiu no mercado da Austrália uma pesquisa negativa sobre as condições do setor manufatureiro local. Entre os papéis em foco, Austal recuou 20%, após não conseguir um contrato com a Marinha dos Estados Unidos.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO