Porto Alegre, segunda-feira, 27 de abril de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, segunda-feira, 27 de abril de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Trabalho

27/04/2020 - 21h30min. Alterada em 27/04 às 21h30min

Gerdau e GKN suspendem contratos de 1,3 mil trabalhadores no RS

Decisões atingem 800 trabalhadores em Porto Alegre e 500 em Charqueadas

Decisões atingem 800 trabalhadores em Porto Alegre e 500 em Charqueadas


FREDY VIEIRA/JC
Diego Nuñez
Gerdau e GKN tiveram sucesso na negociação com seus funcionários e irão suspender temporariamente contratos de trabalho de 1.300 funcionários, de acordo com a Medida Provisória (MP) 936 publicada pelo Governo Federal, que também permite a redução de salário e jornada. 
Gerdau e GKN tiveram sucesso na negociação com seus funcionários e irão suspender temporariamente contratos de trabalho de 1.300 funcionários, de acordo com a Medida Provisória (MP) 936 publicada pelo Governo Federal, que também permite a redução de salário e jornada. 
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
O maior volume de trabalhadores que terão o contrato de trabalho suspenso por um mês, prorrogável por mais um, fica na GKN. Serão 800 empregados atingidos na unidade de Porto Alegre e mais 300 na de Charqueadas. 
Para os funcionários que recebem acima de R$ 4 mil, a GKN irá bancar 40% do salário neste período. O resto do vencimento será completado com 60% do seguro-desemprego. Já para os trabalhadores que ganham abaixo desta faixa, a empresa pagará 30% do salário, com complemento de 70% do seguro-desemprego.
Durante o tempo que vigorar a suspensão, os funcionários ganharão estabilidade por período igualmente maior. Por exemplo, caso a suspensão dure dois meses, os empregados não poderão ser demitidos por período total de quatro meses. 
Na Gerdau, o impacto será menor. Serão 200, do total de 680 empregados que trabalham na fábrica de Charqueadas, que terão seu contrato suspenso. A empresa ainda decidiu reduzir jornada de trabalho e salário para 30 a 40 funcionários. 
 
Em nota, a Gerdau justifica que a decisão foi tomada "frente ao cenário de incertezas" e que o acordo "possibilita a manutenção dos turnos de revezamento em sua usina de Charqueadas por mais 12 meses".
Para o presidente do sindicato dos metalúrgicos que responde pela região carbonífera do Rio Grande do Sul, Jorge Luiz Silveira de Carvalho, os funcionários que acordaram a suspensão de contrato "não tinham alternativa". 
"Seria aceitar ou se submeter a possíveis demissões. Vai ser uma queda muito brusca de salários. Isso vai mexer profundamente com o orçamento familiar de cada um", lamentou Carvalho. 
Comentários