Porto Alegre, segunda-feira, 30 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre, segunda-feira, 30 de março de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 30/03 às 11h54min

Expectativa por novo teste de covid-19 permite alta do Ibovespa

Sinal positivo dos índices norte-americanos ajudou a amparar o Ibovespa

Sinal positivo dos índices norte-americanos ajudou a amparar o Ibovespa


ROBERTO CASIMIRO/FOTOARENA/FOLHAPRESS/JC
A bolsa brasileira iniciou a segunda-feira (30) com forte alta, chegando a subir mais de 2% e acima dos 75 mil pontos, depois de perder 5,51%, aos 73.428,78 pontos, na sexta-feira. O sinal positivo dos índices norte-americanos também ajudou a amparar o Ibovespa, sobretudo depois da afirmação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que um teste novo e mais rápido para detectar o novo coronavírus pode estar disponível no país esta semana.
A bolsa brasileira iniciou a segunda-feira (30) com forte alta, chegando a subir mais de 2% e acima dos 75 mil pontos, depois de perder 5,51%, aos 73.428,78 pontos, na sexta-feira. O sinal positivo dos índices norte-americanos também ajudou a amparar o Ibovespa, sobretudo depois da afirmação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que um teste novo e mais rápido para detectar o novo coronavírus pode estar disponível no país esta semana.
"É uma boa notícia apesar da expectativa de aumento no número de infectados. E o Brasil também pode começar a fazer os teste. Traz alívio", diz o economista-chefe do ModalMais, Álvaro Bandeira.
Às 11h55min, o Ibovespa subia 1,09%, aos 74.227 pontos, após superar os 75 mil pontos. "Mas ainda há dúvidas internas como e quando as medidas anunciadas chegarão à economia real", pondera. Às 11h06min, porém, o Ibovespa subia 0,53%, aos 73.818,11 pontos.
Analistas citam ainda outras notícias consideradas positivas como a desaceleração na curva de pessoas contaminadas pelo novo coronavírus, caso do Reino Unido, a continuidade da injeção de recurso para amainar os impactos da pandemia de covid-19, e a de que o BC da China cortou a taxa de juros de operações de recompra reversa de sete dias de 2,4% para 2,2%.
Internamente, a expectativa é que o Senado vote o auxílio de R$ 600 a trabalhadores informais neste momento de crise, o que também entraria como um fator de impulso à Bolsa.
O ministro da Economia, Paulo Guedes, pediu o apoio dos prefeitos para atualizar o cadastro de trabalhadores deste segmento que receberão a ajuda durante a epidemia do novo coronavírus. Guedes sugeriu que os municípios enviem os dados para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e para a Caixa Econômica Federal.
Apesar disso, o quadro ainda enseja cuidado. Indícios de que as ações para conter a disseminação do novo coronavírus nos Estados Unidos e no Reino Unido poderão se prolongar reforçam a preocupação de investidores neste primeiro dia da semana e penúltimo do mês. O petróleo tem queda forte, diante da expectativa de escassez da demanda por conta dos efeitos negativos sobre o crescimento mundial, o que pode ser um limitador de eventual alta na B3.
"O mercado ficou mal ontem e hoje tem algumas notícias positivas, e ainda teve a 'live' do Guedes no fim de semana, que foi super boa, e teve um posicionamento, se propondo a ajudar a amenizar a situação no Brasil, mas não vejo tanta coisa muita positiva", descreve o estrategista-chefe da Levante Ideias de Investimentos, Rafael Bevilacqua.
Bandeira, enquanto não houver clareza quanto a uma data em que os recursos chegarão de fato à economia real, ficará complicado esperar um cenário promissor. "Os R$ 600 reais do governo, as medidas do BNDES, do Banco do Brasil e da Caixa são importantes, mas quando chegarão onde têm que chegar? Serão insuficientes. Se é uma votação eletrônica R$ 600, por que o Senado não votou na sexta?" questiona.
A instabilidade política, diante da conduta do presidente Jair Bolsonaro, que saiu às ruas neste fim de semana e segue defendendo o isolamento parcial que, por sua vez, está na direção oposta da do Ministério da Saúde, deve ficar no radar.