Porto Alegre, sábado, 26 de setembro de 2020.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 26 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Agronegócios

- Publicada em 03h00min, 26/03/2020.

Mande suas dúvidas

Para que o setor não pare, é preciso ter acesso a serviços, diz Gedeão

Para que o setor não pare, é preciso ter acesso a serviços, diz Gedeão


/TIAGO FRANCISCO/SISTEMA FARSUL/DIVULGAÇÃO/JC
Thiago Copetti

Atualmente, apesar de haver boas garantias de que as necessidades essenciais ao abastecimento de alimentos à população estejam em funcionamento - da produção à indústria -, prefeitos de diferentes cidades têm restringido ou dificultado atividades de agroindústrias, lojas de insumos e outros setores do varejo e da indústria de continuarem trabalhando. Isso, explica Rudy Ferraz, chefe da assessoria jurídica da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), mesmo após o decreto publicado em 20 de março ter abarcado toda a cadeia como atividades essenciais, e não apenas a produção direta, mas também insumos e suprimentos.

Atualmente, apesar de haver boas garantias de que as necessidades essenciais ao abastecimento de alimentos à população estejam em funcionamento - da produção à indústria -, prefeitos de diferentes cidades têm restringido ou dificultado atividades de agroindústrias, lojas de insumos e outros setores do varejo e da indústria de continuarem trabalhando. Isso, explica Rudy Ferraz, chefe da assessoria jurídica da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária (CNA), mesmo após o decreto publicado em 20 de março ter abarcado toda a cadeia como atividades essenciais, e não apenas a produção direta, mas também insumos e suprimentos.

"Quem se sentir prejudicado por algum decreto municipal deve apresentar ao município a medida provisória e exigir que sigam o decreto federal." Dialoguem com a prefeitura, notifiquem do pedido. Mas, não tendo outra solução, os prejudicados devem mover uma ação judicial de forma emergencial, inclusive com apoia da CNA, alerta Ferraz.

A CNA está promovendo um canal de orientações para esses casos de agroindústrias, fabricantes e revendas de insumos sobre como proceder perante prefeituras e possíveis dificuldades de operação.

"O objetivo é receber informações sobre o estado de saúde do produtor e se ele está enfrentando alguma dificuldade com relação à produção, à distribuição e à comercialização do seu produto. Assim, vamos poder orientá-lo e tomar as medidas necessárias junto às instâncias federais", explica o diretor-geral do Senar, Daniel Carrara.

Comentários CORRIGIR TEXTO