Porto Alegre, terça-feira, 21 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 21 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Conjuntura

- Publicada em 09h11min, 23/03/2020. Atualizada em 09h11min, 23/03/2020.

IPC-S acelera a 0,18% na 3ª semana de março, afirma FGV

Com destaque para o tomate, grupo Alimentação foi um dos responsáveis pelo acréscimo

Com destaque para o tomate, grupo Alimentação foi um dos responsáveis pelo acréscimo


CRISTIANO MARTINS/AG. PARÁ/FOTOS PUBLICAS/DIVULGAÇÃO/JC
O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu 0,18% na terceira semana de março, informou nesta segunda-feira (23) a Fundação Getulio Vargas (FGV). O dado ficou 0,14 ponto porcentual acima do registrado na última medição, quando a taxa foi de 0,04%.
O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) subiu 0,18% na terceira semana de março, informou nesta segunda-feira (23) a Fundação Getulio Vargas (FGV). O dado ficou 0,14 ponto porcentual acima do registrado na última medição, quando a taxa foi de 0,04%.
Seis das oito classes de despesa componentes do IPC-S registraram acréscimo nas taxas de variação. O destaque foi o grupo Educação, Leitura e Recreação, que acelerou de -1,24% para -0,88%, puxado pelo comportamento da passagem aérea (-13,35% para -8,82%).
Também tiveram acréscimo os grupos Alimentação (0,81% para 1,01%), devido às hortaliças e legumes (7,58% para 8,60%); Habitação (-0,13% para 0,04%), com a tarifa de eletricidade residencial (-1,35% para -0,60%); Saúde e Cuidados Pessoais (0,25% para 0,40%), com influência de artigos de higiene e cuidado pessoal (0,06% para 0,62%); Transportes (-0,02% para 0,05%), puxado por gasolina (-1,11% para -0,98%); e Despesas Diversas (0,0% para 0,01%), com o conserto de aparelho telefônico celular (0,46% para 0,63%).
O grupo Vestuário apresentou desaceleração na sua taxa de variação (0,01% para -0,28%), puxado pelo comportamento de roupas (0,01% para -0,39%). Já o grupo Comunicação repetiu a taxa de 0,09% registrada na última divulgação, com aceleração nos serviços de streaming (0,13% para 0,24%) e alívio na tarifa de telefone residencial (0,96% para 0,91%).
Os itens que mais contribuíram com a aceleração das taxas do IPC-S foram o tomate (8,88% para 10,67%); licenciamento e IPVA (estável em 1,40%); plano e seguro de saúde (estável em 0,59%); ovos (8,01% para 8,64%); e cenoura (29,03% para 28,47%).
Na outra ponta, além da passagem aérea, da gasolina e da tarifa de eletricidade residencial, deram alívio ao indicador o hotel (-0,97% para -1,00%) e os alimentos para animais domésticos (-1,96% para -1,88%).
Comentários CORRIGIR TEXTO