Porto Alegre, quinta-feira, 19 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 19/03 às 16h08min

Ouro fecha em leve alta após perdas recentes, mas continua volátil

O ouro para abril subiu 0,09%, a US$ 1.479,3 a onça-troy, na Comex

O ouro para abril subiu 0,09%, a US$ 1.479,3 a onça-troy, na Comex


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
Os contratos futuros do ouro fecharam em leve alta nesta quinta-feira (19), após perdas recentes, mas continuam voláteis. Se por um lado, a busca por segurança em meio à pandemia de coronavírus aumenta a demanda pelo metal precioso, por outro, a força do dólar pressiona a commodity.
Os contratos futuros do ouro fecharam em leve alta nesta quinta-feira (19), após perdas recentes, mas continuam voláteis. Se por um lado, a busca por segurança em meio à pandemia de coronavírus aumenta a demanda pelo metal precioso, por outro, a força do dólar pressiona a commodity.
O ouro para abril subiu 0,09%, a US$ 1.479,3 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex).
"O principal instrumento de refúgio na crise do coronavírus tem sido o dólar e, portanto, duvidamos de que possa haver ganhos adicionais nos metais preciosos", comentam analistas da Zaner Metals. Com o dólar em alta, o ouro fica mais caro para detentores de outras divisas.
Nesta quinta, uma série de bancos centrais, como o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), cortaram juros para tentar conter os impactos econômicos da pandemia. O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), por sua vez, anunciou mais instrumentos para aumentar a liquidez do sistema financeiro.
Analista de metais preciosos do ABN Amro, Georgette Boele afirma que "o pânico dos investidores nos mercados financeiros resultou em uma liquidação de posições e uma fuga para ativos mais líquidos, como os Treasuries e o dólar".
Para o analista sênior de mercado Craig Erlam, da Oanda, apesar da leve alta de hoje, a tendência é que o ouro "continue volátil".