Porto Alegre, quinta-feira, 19 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 19/03/2020. Alterada em 19/03 às 03h00min

Programa de Sementes Forrageiras 2020 conta com recursos ampliados

Com o objetivo de fomentar a aquisição de sementes forrageiras a serem utilizadas na formação de pastagens de inverno e verão para alimentação dos rebanhos, o governo do Estado lançou, nesta quarta-feira, o Programa de Sementes Forrageiras 2020. O ato simbólico ocorreu no gabinete do governador Eduardo Leite.
Com o objetivo de fomentar a aquisição de sementes forrageiras a serem utilizadas na formação de pastagens de inverno e verão para alimentação dos rebanhos, o governo do Estado lançou, nesta quarta-feira, o Programa de Sementes Forrageiras 2020. O ato simbólico ocorreu no gabinete do governador Eduardo Leite.
"Fizemos um esforço enorme para ampliar os recursos do programa, beneficiar um número maior de agricultores familiares e reduzir os impactos negativos da seca. Com recursos da bancada federal e mais aporte do Estado, vamos duplicar o valor investido, alcançando R$ 6,6 milhões", ressaltou o governador.
Somados o período regular de inscrição e o de reabertura dos pedidos por conta da estiagem, a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) recebeu ofício de 126 entidades interessadas, com um total de 15.981 agricultores em mais de 100 municípios. Com isso, serão quase 4 mil beneficiados a mais do que na edição passado do programa.
O total de recursos executados no ano passado no programa foi de R$ 3 milhões. Para 2020, estão previstos R$ 6,6 milhões - dos quais cerca de R$ 2 milhões foram disponibilizados pela bancada federal. Além disso, atendendo a uma demanda apresentada pelas federações, o limite por agricultor foi ampliado de R$ 300,00 para
R$ 450,00. O valor teto por entidade (sindicato, associação ou cooperativa) passou de R$ 100 mil para R$ 143,5 mil.
"Teremos não só um número maior de produtores beneficiados como um limite maior de investimento para cada um. Com isso, acreditamos que o pequeno agricultor, aquele que foi mais prejudicado pela seca, principalmente na produção de leite, poderá ter incentivos para se reerguer", pontuou o secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, na presença de líderes de federações e representações do agronegócio. Os recursos são operacionalizados por meio de financiamento subsidiado conforme regras do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento dos Pequenos Produtores Rurais (Feaper).