Porto Alegre, sexta-feira, 13 de março de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado Financeiro

13/03/2020 - 10h43min. Alterada em 13/03 às 10h47min

Após tombo da quinta-feira, B3 opera em alta

Circuit breaker foi acionado por duas vezes durante o pregão na quinta-feira

Circuit breaker foi acionado por duas vezes durante o pregão na quinta-feira


MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/JC
A B3 abriu o pregão desta sexta-feria (13) em alta pós o tombo de 14,78% no pregão da quinta-feira (12), quando foi acionado o circuit breaker por duas vezes durante a manhã. Às 10h30min, a bolsa operava em alta de 15,36%, aos 83.733 pontos.
A B3 abriu o pregão desta sexta-feria (13) em alta pós o tombo de 14,78% no pregão da quinta-feira (12), quando foi acionado o circuit breaker por duas vezes durante a manhã. Às 10h30min, a bolsa operava em alta de 15,36%, aos 83.733 pontos.
As bolsas asiáticas tiveram mais um pregão de fortes perdas nesta sexta-feira (13), na esteira de quedas históricas nos mercados acionários dos EUA e da Europa, em meio a persistentes temores com o avanço do coronavírus em países fora da China, onde a doença teve origem. Na Oceania, porém, a bolsa australiana conseguiu se recuperar parcialmente, num dia de extrema volatilidade.
O índice japonês Nikkei sofreu um tombo de 6,08% em Tóquio, o maior desde junho de 2016, encerrando os negócios a 17.431,05 pontos, no menor nível desde novembro de 2016. Já o sul-coreano Kospi caiu 3,43% em Seul, a 1.771,44 pontos, o menor patamar desde julho de 2012, depois de chegar a se desvalorizar mais de 8%, acionando um dispositivo de circuit breaker que interrompeu os negócios por 20 minutos.
Na China continental, os mercados mais uma vez tiveram perdas relativamente menores, em meio a expectativas de que o PBoC - como é conhecido o BC chinês - volte a reduzir compulsórios bancários. O Xangai Composto recuou 1,23%, a 2.887,43 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto cedeu 1,08%, a 1.798,98 pontos.