Porto Alegre, terça-feira, 21 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 21 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Comércio exterior

- Publicada em 11h06min, 06/03/2020. Atualizada em 12h34min, 06/03/2020.

Exportações de calçados caem no primeiro bimestre no Brasil

Queda de embarques para os EUA teve um peso muito grande no resultado, diz Abicalçados

Queda de embarques para os EUA teve um peso muito grande no resultado, diz Abicalçados


BIBI CALÇADOS/DIVULGAÇÃO/JC
A queda na exportação de calçados do Brasil em janeiro e fevereiro deste ano chegou a 10,7% no volume e 8,5% na receita, segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). Foram embarcados 23 milhões de pares, que geraram US$ 166,7 milhões.
A queda na exportação de calçados do Brasil em janeiro e fevereiro deste ano chegou a 10,7% no volume e 8,5% na receita, segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados). Foram embarcados 23 milhões de pares, que geraram US$ 166,7 milhões.
A associação aponta que a menor demanda dos Estados Unidos pesou no desempenho. “A queda dos embarques aos EUA teve um peso muito grande, especialmente nos calçados de couro”, aponta o presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, em nota.
Os embarques menores para os Estados Unidos representaram 6,3 pontos da queda de 8,5 pontos. “Além da queda de quase 2% nas vendas de calçados, o que inibe as importações de uma maneira geral, existe o impacto geral do novo coronavírus”, avalia Ferreira. O efeito do vírus já havia sido cogitado.  
Uma boa notícia, diz o dirigente, é de que, com o câmbio atual, em reais, a rentabilidade segue em crescimento. “Em reais, as exportações cresceram 4,9% em fevereiro e 3,8% no bimestre”, informa. 
Comentários CORRIGIR TEXTO