Porto Alegre, quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

aviação

20/02/2020 - 16h14min. Alterada em 20/02 às 16h14min

Aeroporto perto do centro de Buenos Aires volta a receber voo do Brasil

O Aeroparque voltará a ser utilizado por voos internacionais para países vizinhos na América do Sul

O Aeroparque voltará a ser utilizado por voos internacionais para países vizinhos na América do Sul


DANIEL GARCIA/AFP/JC
Folhapress
Após mais de um ano operando apenas com voos nacionais, o aeroporto de Buenos Aires Jorge Newbery, conhecido como Aeroparque, voltará a receber rotas internacionais a partir de 11 de maio.
Após mais de um ano operando apenas com voos nacionais, o aeroporto de Buenos Aires Jorge Newbery, conhecido como Aeroparque, voltará a receber rotas internacionais a partir de 11 de maio.
O terminal, que fica no bairro turístico de Palermo, a nove quilômetros da Casa Rosada, será novamente ponto de embarque e desembarque de voos para o Brasil, Chile, Paraguai, Peru e a Bolívia.
A reabertura para voos internacionais já havia sido anunciada no início do ano pelo ministro do Turismo argentino, Matías Lammens, e foi confirmada na segunda-feira (17) por um comunicado oficial da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) do país.
Desde 1º de abril de 2019, todos os voos internacionais que pousavam no Aeroparque, incluindo rotas conectadas ao Brasil operadas pelas Aerolíneas Argentinas, pela Gol e pela Latam, foram transferidas para o aeroporto de Ezeiza. O terminal fica na cidade vizinha, a 31 quilômetros do centro de Buenos Aires, mas tem maior capacidade de operação.
Porém, segundo a Anac argentina, o volume de voos no aeroporto está causando filas grandes na imigração, principalmente no período da manhã.
Para aliviar Ezeiza, o Aeroparque voltará a ser utilizado por voos internacionais para países vizinhos na América do Sul, que não tenham escalas e que sejam operados por aeronaves que comportem até 200 passageiros.
Isso exclui aviões maiores, que ligam a Argentina aos Estados Unidos e à Europa, por exemplo, e aviões maiores que fazem conexão no Brasil antes de pousar em Buenos Aires, caso de voos das companhias Qatar e Turkish.
Segundo comunicado da Anac, a intenção também é fomentar o turismo e, consequentemente, a economia do país, já que é mais cômodo para o passageiro desembarcar e embarcar em uma região central de Buenos Aires do que se deslocar até Ezeiza.
Outro terminal utilizado na Argentina é o de El Palomar, uma antiga base militar. Fica a 26 quilômetros do centro e é menor do que o Aeroparque. O El Palomar é utilizado atualmente pelas companhias aéreas de baixo custo Flybondy e JetSmart. A Flybondi já opera voos para lá a partir de São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis.
As companhias aéreas brasileiras que operavam no Aeroparque antes da proibição, Gol e Latam, ainda não têm voos confirmados para o terminal.
Procuradas, a Gol informou que aguarda mais detalhes sobre a reabertura do Aeroparque para poder divulgar possíveis mudanças em suas rotas.A Latam disse considerar promissora a retomada dos voos para o aeroporto, que dará aos clientes mais um opção para suas viagens à Buenos Aires. De acordo com a companhia, qualquer novidade sobre a retomada de voos no Aeroparque será comunicada no momento oportuno.