Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

governo federal

17/02/2020 - 16h43min. Alterada em 17/02 às 16h44min

Governo só fará concursos públicos 'essenciais', diz Bolsonaro

Bolsonaro disse que deverá tratar da reforma administrativa em reunião com Guedes

Bolsonaro disse que deverá tratar da reforma administrativa em reunião com Guedes


MARCOS CORRÊA/PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA/DIVULGAÇÃO/JC
Agência O Globo
O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (17) que, por enquanto, o governo só realizará os concursos públicos que considerar "essenciais", para não causar gastos públicos desnecessários, que poderiam inviabilizar o pagamento dos atuais servidores.
O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (17) que, por enquanto, o governo só realizará os concursos públicos que considerar "essenciais", para não causar gastos públicos desnecessários, que poderiam inviabilizar o pagamento dos atuais servidores.
Bolsonaro também disse que espera encaminhar a reforma administrativa "o mais rápido possível" ao Congresso. Uma queda de braço entre o Planalto e a equipe de Paulo Guedes, ministro da Economia, está travando a reforma.
"Se você não fizer algo, os atuais servidores vão ficar sem receber lá na frente. Então, não é travar. Os concursos públicos, (vamos fazer) só os essenciais. Essa é que é a ideia", disse Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada.
Pouco depois, o presidente reforçou o raciocínio, dizendo que o governo irá abrir concursos se houver "necessidade", mas ressaltou que não pode ser "irresponsável":
"Tem concursos que foram feitos no passado que nós demos prosseguimento agora, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal. Se tiver necessidade, a gente vai abrir concurso. Mas não podemos ser irresponsáveis, abrir concursos que poderão ser desnecessários, poderão. Essa que é a ideia."
Bolsonaro disse que deverá tratar da reforma administrativa em reunião com Guedes, marcada para a tarde desta segunda-feira. Ele destacou que faltam fazer "algumas alterações" no texto:
"Espero que o mais rápido possível eu encaminhe. Hoje vou conversar com Paulo Guedes, está previsto, se não me engano, (uma reunião) às 14h com ele. Outros assuntos serão tratados. Mas a reforma administrativa, eu acho que ela está madura para ser apresentada", disse, acrescentando depois que, "ainda faltam algumas alterações".