Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado financeiro

14/02/2020 - 16h47min. Alterada em 14/02 às 16h47min

Ouro fecha em alta com temor de avanço no surto de coronavírus

O ouro para abril fechou em alta de 0,48%, a US$ 1.586,4 a onça-troy

O ouro para abril fechou em alta de 0,48%, a US$ 1.586,4 a onça-troy


VISUALHUNT.COM/DIVULGAÇÃO/JC
Os contratos futuros do ouro fecharam em alta nesta sexta-feira (14) com investidores procurando segurança diante das dúvidas sobre a real disseminação do coronavírus na China. Na quinta, houve um salto no número de casos de coronavírus com a mudança no método de contagem dos casos, que agora incluem os diagnósticos clínicos além dos laboratoriais.
Os contratos futuros do ouro fecharam em alta nesta sexta-feira (14) com investidores procurando segurança diante das dúvidas sobre a real disseminação do coronavírus na China. Na quinta, houve um salto no número de casos de coronavírus com a mudança no método de contagem dos casos, que agora incluem os diagnósticos clínicos além dos laboratoriais.
Nesta sexta, no entanto, a China informou a queda no número de mortos, diminuindo em mais de 100 o número já informado, porque alguns casos teriam sido contados de forma duplicada, o que aumentou a desconfiança sobre os dados apresentados até o momento.
Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro para abril fechou em alta de 0,48%, a US$ 1.586,4 a onça-troy.
As preocupações em torno do coronavírus e seu impacto na economia global continuaram alimentando a demanda pelo refúgio do metal precioso.
De acordo com a Capital Economics, embora haja um "otimismo cauteloso" sobre o avanço do coronavírus nos mercados de metais básicos, os traders do mercado de ouro estão optando por se concentrar mais nas manchetes negativas.
"O número de mortes aumentou para mais de 900, por exemplo, o que significa que agora mais pessoas foram mortas pelo coronavírus do que pela SARS há 17 anos. Além disso, o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde alertou que o vírus poderia se espalhar ainda mais, especialmente fora da China", avalia a instituição.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou nesta sexta que o número de pessoas infectadas pelo coronavírus na China chegou a 63.932 e há pelo menos 1.381 mortes.