Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Mercado financeiro

14/02/2020 - 15h30min. Alterada em 14/02 às 15h30min

Bolsas da Europa fecham na maioria em baixa com coronavírus e indicadores fracos

Índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,13%, em 430,52 pontos

Índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,13%, em 430,52 pontos


PHILIPPE HUGUEN/AFP/JC
As bolsas da Europa fecharam majoritariamente em queda nesta sexta-feira (14) em meio à cautela com o avanço do coronavírus e após a divulgação de indicadores que vieram abaixo do esperado no continente. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,13%, em 430,52 pontos, com alta semanal de 1,45%.
As bolsas da Europa fecharam majoritariamente em queda nesta sexta-feira (14) em meio à cautela com o avanço do coronavírus e após a divulgação de indicadores que vieram abaixo do esperado no continente. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 0,13%, em 430,52 pontos, com alta semanal de 1,45%.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de pessoas infectadas pelo coronavírus na China chegou a 63.932 e há pelo menos 1.381 mortes. A entidade, porém, disse que as perspectivas para a trajetória do surto estão melhorando.
"O apetite por risco diminuiu ligeiramente no final da semana, pois o aumento acentuado nos casos de coronavírus colocou em dúvida o pico do surto", avalia o BBVA. Além disso, investidores também reagiram negativamente a dados abaixo do esperado, como o Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro, que ficou estagnado no quarto trimestre de 2019, na comparação trimestral, ante previsão de alta.
Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 caiu 0,10%, a 24.867,01 pontos. Nestas sexta, a mídia do Reino Unido informou que um dos nove pacientes infectados pelo coronavírus no país participaram de um evento com mais de 200 pessoas.
Em Frankfurt, o índice DAX recuou 0,01%, a 13.744,21 pontos, após o PIB da Alemanha, divulgado hoje, ter ficado estável no quarto trimestre do ano passado, na comparação anual, frustrando projeção de avanço. "Queda na demanda doméstica contribuiu para estagnação do PIB", comentam analistas do Citi. Wirecard caiu 3,47% e Volkswagen, 1,21%.
Na Bolsa de Paris, o CAC 40 caiu 0,39%, a 6.069,35 pontos. As ações da Airbus recuaram 2,21% e as da Renault, 0,90%, após a fabricante de automóveis informar prejuízo inesperado em 2019. Credit Agricole, por sua vez, cedeu 1,17%, mesmo após superar expectativas de lucro no último trimestre do ano passado.
Em Madri, o índice Ibex 35 avançou 0,47%, a 9.956,80 pontos. Na Bolsa de Milão, o índice FTSE MIB cedeu 0,10%, a 24.867,01 pontos. Já na Bolsa de Lisboa, o PSI 20 fechou com perda de 0,07%, a 5.328,34 pontos.