Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Conjuntura

14/02/2020 - 11h53min. Alterada em 14/02 às 12h12min

IBC-Br sobe 0,89% no acumulado de 2019

Dados do PIB de 2019 com a atividade industrial e de outros segmentos vão ser divulgados em março

Dados do PIB de 2019 com a atividade industrial e de outros segmentos vão ser divulgados em março


LUIZA PRADO/JC
O Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br) acumulou alta de 0,89% no acumulado de 2019, informou nesta sexta-feira (14) o Banco Central (BC). O percentual diz respeito à série sem ajustes sazonais.
O Índice de Atividade do Banco Central (IBC-Br) acumulou alta de 0,89% no acumulado de 2019, informou nesta sexta-feira (14) o Banco Central (BC). O percentual diz respeito à série sem ajustes sazonais.
Conhecido como uma espécie de "prévia do BC" para o Produto Interno Bruto (PIB), o IBC-Br serve mais precisamente como parâmetro para avaliar o ritmo da economia brasileira ao longo dos meses. A projeção do BC para a atividade doméstica em 2019 é de avanço de 1,2%. Para 2020, a estimativa é de 2,2%. 
Os dados do PIB de 2019 serão divulgados apenas no início de março, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Após recuar 0,11% em novembro (dado revisado), a economia brasileira teve novo resultado negativo em dezembro de 2019. Segundo o Banco Central, o IBC-Br caiu 0,27% em dezembro ante novembro, na série com ajuste sazonal. Foi o segundo recuo mensal consecutivo.