Porto Alegre, terça-feira, 18 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 14/02/2020. Alterada em 14/02 às 03h00min

Prefeitura homologa viabilidade do projeto da Havan na Capital

O prefeito Nelson Marchezan Júnior homologou nesta quinta-feira, o Estudo de Viabilidade Urbanística (EVU) do Centro Comercial Assis Brasil, a ser construído na Zona Norte, próximo da sede da Federação de Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs). O empreendimento, que foi encaminhado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), contempla uma nova megaloja da varejista Havan, com área construída de 19.107 m², e uma unidade da rede de supermercados Comercial Zaffari, com 13.409 m2..

O prefeito Nelson Marchezan Júnior homologou nesta quinta-feira, o Estudo de Viabilidade Urbanística (EVU) do Centro Comercial Assis Brasil, a ser construído na Zona Norte, próximo da sede da Federação de Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs). O empreendimento, que foi encaminhado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), contempla uma nova megaloja da varejista Havan, com área construída de 19.107 m², e uma unidade da rede de supermercados Comercial Zaffari, com 13.409 m2..

Conta, ainda, com um restaurante de dois pavimentos e uma lancheria do tipo drive-thru. O investimento previsto somente na edificação da Havan é de cerca de R$ 35 milhões.

O EVU aponta as necessidades de mitigação do impacto urbanístico para que o empreendimento possa sair do papel. Além disso, autoriza o empreendedor a protocolar os projetos arquitetônicos - que são pré-requisito para o início das obras. No terreno de 59.919 m2 também está previsto um estacionamento com 993 vagas, sendo 373 cobertas e 620 descobertas. No total, as quatro edificações compreendidas no projeto contemplam uma área construída de 33.069 m2. Em abril do ano passado, o proprietário da Havan Luciano Hang esteve com o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Eduardo Cidade. Na ocasião, o empresário apresentou a intenção de construir a megaloja, além de abrir pelo menos uma dezena de lojas no Rio Grande do Sul. A partir disso, o secretário Cidade fez a interlocução entre os representantes da empresa e os técnicos do Escritório de Licenciamento, garantindo a agilidade na tramitação do projeto junto às equipes responsáveis pela elaboração e aprovação do EVU.