Porto Alegre, sábado, 26 de setembro de 2020.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 26 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Conjuntura Internacional

- Publicada em 03h00min, 24/01/2020.

Bolsonaro autoriza entrada do Brasil em acordo que abre licitações a estrangeiros

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse, em postagem no Twitter nesta quinta-feira, que autorizou a entrada do Brasil no Acordo de Compras Governamentais (PA, na sigla em inglês) da Organização Mundial do Comércio (OMC).
O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse, em postagem no Twitter nesta quinta-feira, que autorizou a entrada do Brasil no Acordo de Compras Governamentais (PA, na sigla em inglês) da Organização Mundial do Comércio (OMC).
O acordo, do qual fazem parte países da Europa, EUA, China e Japão, obriga seus membros a dar condições isonômicas a empresas estrangeiras e nacionais em licitações públicas nas áreas de bens, serviços e infraestrutura.
Em sua conta no Twitter, Bolsonaro escreveu: "Em respeito ao dinheiro do pagador de imposto, buscaremos licitações mais transparentes e com ampla concorrência internacional, abrindo ainda um mercado de US$ 1,7 trilhão por ano para empresas brasileiras".
O ministro da Economia, Paulo Guedes, já havia dito, na terça-feira, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, que o Brasil entraria no acordo. Segundo o ministro, a adesão faz parte de uma das promessas de campanha de Bolsonaro de atacar a corrupção.
O anúncio é o primeiro passo de uma delicada negociação que pode levar anos para ser finalizada. Fontes da área econômica explicam que o objetivo, ao abrir as licitações de bens, serviços e obras também a estrangeiros, é que o governo chegue no fim desse processo com um leque mais amplo de fornecedores e preços melhores.
A intenção é que o acordo abarque tudo que o governo compra: de seringas a maquinário e equipamentos em estatais, hospitais e universidades.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO