Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

Edição impressa de 15/01/2020. Alterada em 15/01 às 03h00min

Salário-mínimo nacional será de R$ 1.045,00 a partir de fevereiro

Impacto será de R$ 2,13 bilhões no orçamento deste ano

Impacto será de R$ 2,13 bilhões no orçamento deste ano


USP IMAGENS/DIVULGAÇÃO/JC
O presidente Jair Bolsonaro anunciou, nesta terça-feira, que o governo fará um novo reajuste do salário-mínimo para recompor integralmente a inflação. A partir de fevereiro, o valor será de R$ 1.045,00.
O presidente Jair Bolsonaro anunciou, nesta terça-feira, que o governo fará um novo reajuste do salário-mínimo para recompor integralmente a inflação. A partir de fevereiro, o valor será de R$ 1.045,00.
Após reunião com o ministro da Economia, Paulo Guedes, o presidente afirmou que enviará uma nova Medida Provisória (MP) ao Congresso para substituir a proposta enviada em dezembro, que reajustava o piso salarial do País de R$ 998,00 para R$ 1.039,00.
O valor anterior estipulado em dezembro, que levou em conta a inflação de janeiro a novembro de 2019 mais uma estimativa para dezembro, acabou ficando abaixo da inflação oficial, divulgada na última semana. "Tivemos uma inflação atípica em dezembro, não esperávamos que fosse tão alta assim, mas foi tudo basicamente da carne", afirmou Bolsonaro.
O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) fechou 2019 com alta de 4,48%, de acordo com os dados divulgados na semana passada. Por lei, esse é o índice usado para o reajuste do salário-mínimo, embora a inflação oficial seja a medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que finalizou 2019 em 4,31%.
De acordo com cálculos do governo, cada R$ 1,00 de aumento para o salário-mínimo implica despesa extra em 2020 de, aproximadamente, R$ 355,5 milhões. Considerado o valor de
R$ 1.045,00, conforme o secretário Waldery Rodrigues, do Ministério da Economia, o impacto será de R$ 2,13 bilhões neste ano.
Para fazer frente a essa despesa, o governo espera uma elevação de R$ 8 bilhões na arrecadação. Sem dar detalhes, o ministro da Economia afirmou que esse aumento deve ser oficializado em uma semana.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia