Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

varejo

02/01/2020 - 09h14min. Alterada em 02/01 às 10h49min

Supermercados gaúchos têm alta de 6,5% com vendas de Ano-Novo

Espumantes e carnes suínas lideram as vendas para as comemorações de fim de ano

Espumantes e carnes suínas lideram as vendas para as comemorações de fim de ano


MAURO SCHAEFER/ARQUIVO/JC
Os supermercados do Rio Grande do Sul fecharam 2019 com alta de 6,5% nas vendas de Ano-Novo. O balanço é da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) e foi divulgado nesta quinta-feira (2). Apesar do dado positivo, as vendas do Réveillon ficaram abaixo dos 9% de alta registrados pelo setor no Natal.
Os supermercados do Rio Grande do Sul fecharam 2019 com alta de 6,5% nas vendas de Ano-Novo. O balanço é da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) e foi divulgado nesta quinta-feira (2). Apesar do dado positivo, as vendas do Réveillon ficaram abaixo dos 9% de alta registrados pelo setor no Natal.
Espumantes e carnes suínas lideram as vendas para as comemorações de fim de ano. Por conta do calor, também houve alta procura por refrigerantes e cervejas. O desempenho nesses produtos foi 15% superior ao mesmo período de 2018, de acordo com a Agas. Além disso, 50% das vendas na véspera da Virada se concentraram entre carnes e bebidas.
Na avaliação do presidente da entidade, Antônio Cesa Longo, a preocupação dos consumidores em poupar teve reflexo nas compras de ano-novo. "A cesta do Réveillon foi mais compartilhada que a de Natal, esta foi a principal mudança", afirmou Longo, em nota.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia