Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 31 de dezembro de 2019.
Dia de São Silvestre.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

construção civil

Edição impressa de 31/12/2019. Alterada em 30/12 às 22h40min

Financiamento imobiliário alcança R$ 7,78 bilhões

Saldo de unidades negociadas também aumentou de janeiro a novembro

Saldo de unidades negociadas também aumentou de janeiro a novembro


MARIANA CARLESSO/arquivo/JC
O crédito imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) alcançou R$ 7,78 bilhões em novembro de 2019, melhor resultado mensal desde maio de 2015. Em comparação com o mesmo mês de 2018, o crescimento dos valores foi de 59,6%. Os dados foram divulgados na segunda-feira, 30, pela Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).
O crédito imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) alcançou R$ 7,78 bilhões em novembro de 2019, melhor resultado mensal desde maio de 2015. Em comparação com o mesmo mês de 2018, o crescimento dos valores foi de 59,6%. Os dados foram divulgados na segunda-feira, 30, pela Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).
De acordo com o Boletim Informativo de Crédito Imobiliário e Poupança, o montante representa alta de 3,3% em relação ao mês de outubro, quando o setor registrou R$ 7,53 bilhões financiados.
Já entre dezembro de 2018 e novembro de 2019, houve aumento de 38,3% no volume de empréstimos em comparação com o período anterior. O valor passou de R$ 55,2 bilhões para R$ 76,09 bilhões. O boletim da Abecip também ressalta a rentabilidade acumulada no Índice Imobiliário Ibovespa, que chegou a 45,29%.
O maior volume de financiamentos imobiliários é gerenciado pela Caixa. Nas modalidades aquisição e construção, a carteira do banco público totaliza R$ 22,8 bilhões em pouco mais de 88 mil unidades. Em segundo lugar está o Bradesco, com R$ 16,2 bilhões financiando 63,4 mil imóveis. Já o Itaú Unibanco conta com cerca de 49 mil clientes em aquisição e construção, que representam uma carteira de R$ 14,7 bilhões.
O aumento dos financiamentos ocorre em meio à maior disponibilização de recursos do SBPE. Segundo a Abecip, entre dezembro de 2018 e novembro de 2019, foram aplicados R$ 70,04 bilhões para aquisição e construção de imóveis. O valor representa aumento de 36,4% em comparação com o mesmo período de 2018, quando havia R$ 51,33 bilhões.
A captação líquida do SBPE em novembro ficou em R$ 3,05 bilhões, enquanto o saldo está em R$ 642 bilhões - alta de 6,3% em relação a 2018. Já no acumulado do ano, o SBPE teve captação líquida negativa de R$ 1,2 bilhão, com mais saques do que depósitos realizados.
Apesar do aumento dos valores envolvidos nas negociações, o número de unidades negociadas chegou a registrar queda entre outubro e novembro. O recuo foi de 2,5% no total de imóveis nas categorias aquisição e construção que, juntas, representam 28,9 mil imóveis.
Já no acumulado do ano, o saldo de unidades foi positivo, com 46,3% de aumento em comparação com o mesmo período de 2018. Os recursos do SBPE possibilitaram a aquisição e construção de 266,3 mil imóveis entre janeiro e novembro de 2019, o que representa 29,9% de alta em comparação com o acumulado do ano passado. O período não registrava resultado negativo desde 2016, quando o déficit foi de R$ 31,2 bilhões.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia