Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de dezembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo

16/12/2019 - 11h19min. Alterada em 16/12 às 14h12min

Vendas de Natal devem crescer de 3% a 4% este ano no Rio Grande do Sul

Consumidores pretendem gastar cerca de R$ 412,00 com presentes neste ano

Consumidores pretendem gastar cerca de R$ 412,00 com presentes neste ano


CLAITON DORNELLES/arquivo/JC
A melhora da atividade econômica, apesar de mais lenta do que o esperado, traz boas perspectivas para o Natal de 2019. Segundo análise da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL POA), a data registrar avanço entre 3% e 4% em relação ao ano passado no Rio Grande do Sul, movimentando aproximadamente R$ 4,5 bilhões. Para a Região Metropolitana de Porto Alegre e para a Capital, a projeção é de R$ 2,08 bilhões e R$ 786 milhões, respectivamente.
A melhora da atividade econômica, apesar de mais lenta do que o esperado, traz boas perspectivas para o Natal de 2019. Segundo análise da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL POA), a data registrar avanço entre 3% e 4% em relação ao ano passado no Rio Grande do Sul, movimentando aproximadamente R$ 4,5 bilhões. Para a Região Metropolitana de Porto Alegre e para a Capital, a projeção é de R$ 2,08 bilhões e R$ 786 milhões, respectivamente.
Das 448 pessoas escutadas, 89% afirmaram que pretendem comprar presentes de Natal, o que representa um aumento de 19 pontos percentuais em relação ao ano passado. A tendência é de que os mais presentados sejam os filhos (52%), os pais (45%), o cônjuge (40%), os netos (21%) e os afilhados (19%). O número total de presentes adquiridos por consumidor será de 4,5, quase idêntico à média de indivíduos presentados por entrevistado (4,2) - o que significa que a maioria das pessoas receberá apenas um presente neste Natal.
Assim como em 2018, as roupas (74%) continuam no topo da lista de presentes, seguidas de brinquedos (38%), calçados (25%), produtos de beleza e perfumaria (24%). O ticket médio gasto em cada presente é de R$ 92,00, enquanto o de todas as compras somadas é de R$ 412,00. As lojas de rua são a principal opção para as compras (47%), mas disputam de forma equilibrada a preferência com os shoppings (44%) nas vendas de Natal. A internet recebeu apenas 5% de menções de local de compra, percentual baixo sobretudo pelo tempo de entrega e pela dificuldade de troca.
Pelo menos 46% dos consumidores afirmaram que gastarão entre R$ 201,00 e R$ 500,00, enquanto 13% das pessoas escutadas disseram que realizarão compras entre R$ 701,00 e R$ 1 mil. O pagamento será feito, predominantemente, à vista, seja no dinheiro (41%) ou no cartão de débito (33%).
De acordo com o levantamento, 70% dos entrevistados não costumam fazer doações beneficentes no Natal, e 24% optaram por fazer amigo secreto para diminuir a quantidade de presentes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia