Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de dezembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

12/12/2019 - 08h19min. Alterada em 12/12 às 08h19min

Bolsas asiáticas sobem majoritariamente após sinalização de manutenção de juros

As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira (12), após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) sinalizar a manutenção de seus juros ao longo do próximo ano. Investidores também continuam atentos a desdobramentos das negociações comerciais entre EUA e China, antes de um prazo que vence no fim de semana para Washington impor tarifas adicionais aos chineses.
As bolsas asiáticas fecharam majoritariamente em alta nesta quinta-feira (12), após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) sinalizar a manutenção de seus juros ao longo do próximo ano. Investidores também continuam atentos a desdobramentos das negociações comerciais entre EUA e China, antes de um prazo que vence no fim de semana para Washington impor tarifas adicionais aos chineses.
Como era amplamente esperado, o Fed deixou ontem seu juro básico inalterado na faixa de 1,50% a 1,75%, após cortá-lo em três ocasiões entre julho e outubro. O mais importante, porém, foi que o BC americano indicou que não deve ajustar juros até pelo menos o fim de 2020.
A sinalização do Fed ajudou os mercados acionários de Nova Iorque a fechar com ganhos modestos ontem e deu sustentação também à maioria das bolsas na Ásia.
O índice japonês Nikkei teve alta de 0,14% na Bolsa de Tóquio hoje, a 23.424,81 pontos, ajudado por ações do setor de eletrônicos, enquanto o Hang Seng avançou 1,31% em Hong Kong, a 26.994,14 pontos, o sul-coreano Kospi mostrou expressiva alta de 1,51% em Seul, a 2.137,35 pontos, e o Taiex se valorizou 1,16% em Taiwan, a 11.836,42 pontos.
Também permanece no radar a disputa comercial sino-americana, uma vez que no domingo (15) vence o prazo para que EUA adotem tarifas extras a mais US$ 156 bilhões em importações chinesas. Porta-voz do Ministério de Comércio chinês, Gao Feng disse hoje que "equipes de comércio de ambos os lados estão mantendo contato próximo", numa tentativa de fechar um acordo comercial preliminar.
Segundo a Reuters, o presidente dos EUA, Donald Trump, deverá se reunir nesta quinta com conselheiros econômicos e de comércio para discutir se mantém a punição tarifária programada para o fim de semana.
Na China continental, as bolsas contrariam hoje a tendência positiva de outras partes da Ásia. O índice Xangai Composto recuou 0,30%, a 2.915,70 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto registrou baixa de 0,19%, a 1.636,33 pontos.
Na Oceania, a bolsa australiana também ficou no vermelho, pressionada principalmente por ações dos quatro grandes bancos domésticos. O S&P/ASX 200 caiu 0,65% em Sydney, a 6.708,80 pontos.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia