Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 05 de dezembro de 2019.
Dia Internacional dos Voluntários.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

05/12/2019 - 16h19min. Alterada em 05/12 às 16h19min

Maioria das Bolsas da Europa fecha em baixa, com negociações EUA-China no radar

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,13%, a 402,66 pontos

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,13%, a 402,66 pontos


JONATHAN HECKLER/JC
A maioria das bolsas da Europa fechou em queda nesta quinta-feira (5), exceto Paris e Portugal, que oscilaram antes do fechamento, encerrando em leve alta. Os mercados abriram o dia em território positivo, com investidores à espera de novidades sobre as negociações comerciais entre China e Estados Unidos, mas a ausência de notícias mais claras sobre a guerra comercial levaram os mercados em geral a recuar.
A maioria das bolsas da Europa fechou em queda nesta quinta-feira (5), exceto Paris e Portugal, que oscilaram antes do fechamento, encerrando em leve alta. Os mercados abriram o dia em território positivo, com investidores à espera de novidades sobre as negociações comerciais entre China e Estados Unidos, mas a ausência de notícias mais claras sobre a guerra comercial levaram os mercados em geral a recuar.
O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,13%, a 402,66 pontos.
 
As preocupações com o comércio global prevaleceram sobre outros assuntos nesta quinta-feira. O Ministério do Comércio chinês reforçou nesta quinta o discurso americano de que as negociações bilaterais estão em andamento, mas afirmou que tarifas devem ser retiradas para que se chegue a um acordo inicial, o que estimulou desconfiança no mercado. Sem outras novidades nessa frente, os índices europeus perderam força nas horas finais do dia.
Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 encerrou o pregão em queda de 0,70%, a 7.137,85 pontos. As ações da Anglo American caíram 1,44% e as do BHP Group desvalorizaram 1,62%. Outro papel em foco foi Glencore, que recuou 9% com a notícia de que a companhia é alvo de investigação por pagamento de propina.
Em Frankfurt, o índice DAX caiu 0,65%, a 13.054,80 pontos, encerrando na mínima do dia. Os papéis da Bayer caíram 0,49% e os do Deutsche Bank 0,37%. Na agenda de indicadores, as encomendas à indústria alemã recuaram 0,4% em outubro ante setembro, após ajustes sazonais. O resultado frustrou a expectativa de analistas consultados pelo Wall Street Journal, de aumento de 0,2%.
Na zona do euro, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,2% no terceiro trimestre ante o segundo e teve expansão anual de 1,2%. Os resultados vieram em linha com o esperado.
O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, subiu 0,03%, a 5.801,55 pontos. Entre os bancos franceses, Société Générale subiu 0,83% e Credite Agricole, 0,32%. O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, recuou 0,28%, com 22.969,40 pontos.
Em Madri, o índice IBEX-35 fechou em queda de 0,30%, a 9.243,40 pontos, na mínima do dia, com o papel da Telefónica em baixa de 0,85%.
Já em Lisboa, o PSI-20 avançou 0,09%, a 5.128,87 pontos, com Banco Comercial Português em alta de 0,15% e CTT-Correios de Portugal, de 3,17%, entre os papéis mais negociados.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia