Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 29 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

Edição impressa de 29/11/2019. Alterada em 29/11 às 03h00min

Produção industrial cresce em outubro, diz Fiergs

Com um salto no indicador de produção, a Sondagem Industrial divulgada nesta quinta-feira (28) pela Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs), passou de 48 pontos, em setembro, para 57,4, em outubro, mais de quatro pontos acima da média histórica do mês. Essa diferença entre setembro e outubro se explica, em parte, pelo fato do décimo mês de 2019 ter três dias úteis a mais do que o anterior, 23 contra 20.

"O crescimento da produção no mês é, em parte, explicado pela sazonalidade, mas o resultado de outubro deste ano mostra que ele foi mais intenso e disseminado que o normal. O mês de outubro tende a ser uma época de aumento da produção devido ao final de ano", destaca o presidente da Fiergs, Gilberto Porcello Petry. De acordo com o dirigente da federação, em termos de expectativas, os industriais gaúchos consultados mostraram maior intenção de investir e projetam retomar as contratações.

Já o emprego no setor industrial ao menos parou de cair. O índice ficou em 49,7 pontos em outubro (49,3 em setembro), o que configura uma estabilização. Os indicadores variam de zero a cem pontos. Quando estão acima dos 50, indicam aumento em relação ao mês anterior.

Em compensação, a elevação de mais de nove pontos na produção foi acompanhada de maior utilização da capacidade instalada (UCI), que ficou em 73% em outubro, dois pontos percentuais acima de setembro, maior nível para o mês desde 2014 e um ponto percentual superior à média histórica dos meses de outubro. O indicador relativo à UCI usual, que considera o nível comum para o mês, fechou outubro em 48,4 pontos, maior valor desde outubro do ano passado (48,6), 4,1 acima de setembro.

O nível dos estoques permaneceu um pouco acima do planejado pelas empresas para outubro. O índice foi de 51,7 pontos no mês. Diferentemente dos demais indicadores, para estoques resultados acima dos 50 indicam níveis acima do desejado pelas empresas.

Segundo apontou a Sondagem Industrial, todos os indicadores de expectativas para o próximo semestre cresceram na pesquisa realizada entre os dias 1º e 12 de novembro, na relação com outubro, e ficaram acima dos 50 pontos. O resultado mostra que o setor industrial gaúcho prevê aumento da demanda (56,9), das exportações (54) e das compras de matérias-primas (55). O grande destaque foi a expectativa de expansão do emprego, o que não ocorria desde abril de 2019. O índice atingiu 51,8 pontos.

Um maior otimismo impulsiona o desejo do industrial gaúcho em investir, com o índice de intenção nos próximos seis meses subindo 3,6 pontos em relação a outubro, chegando a 56,1 em novembro. Esse é o maior valor desde janeiro de 2019 (58,3 pontos), 7,1 acima da média história.

Para a Sondagem Industrial de outubro, foram consultadas, pela Fiergs, 207 empresas, sendo 48 pequenas, 70 médias e 89 grandes.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia