Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 26 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

26/11/2019 - 15h23min. Alterada em 26/11 às 15h23min

Bolsas da Europa oscilam e maioria fecha em alta, com acordo EUA-China no radar

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em alta de 0,10%, aos 408,30 pontos

O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em alta de 0,10%, aos 408,30 pontos


GILMAR LUÍS/JC
A maioria das bolsas da Europa fechou em alta nesta terça-feira (26) após oscilar entre ganhos e perdas, em um dia em que houve realização de lucros. As altas, contidas, foram apoiadas por certos sinais positivos em torno do acordo EUA-China, embora não haja completo otimismo. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em alta de 0,10%, aos 408,30 pontos.
A maioria das bolsas da Europa fechou em alta nesta terça-feira (26) após oscilar entre ganhos e perdas, em um dia em que houve realização de lucros. As altas, contidas, foram apoiadas por certos sinais positivos em torno do acordo EUA-China, embora não haja completo otimismo. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o dia em alta de 0,10%, aos 408,30 pontos.
Investidores viram sinais de alívio nas tensões comerciais entre EUA e China, apesar de a cautela continuar no radar. O leve apoio otimista se deu após a agência de notícias estatal chinesa Xinhua informar que, nesta madrugada, o vice-primeiro-ministro chinês Liu He teve nova conversa telefônica com o representante comercial dos EUA, Robert Lighthizer, e com o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, para tratativas comerciais.
O índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, oscilou bem perto da estabilidade até minutos antes do fechamento e fechou em queda de 0,08%, a 13.236,42 pontos. Contribuíram para a queda as ações do Deutsche Bank, que se desvalorizaram em 1,12%. A BMW perdeu 0,44%.
Já em Londres, o índice FTSE 100 fechou com leve valorização, de 0,09%, aos 7.403,14 pontos. Destaque para as ações da Antofagasta, que subiram 1,73%. Os papéis da BHP Group se valorizaram em 0,80%, enquanto as ações do Barclays tiveram queda de 0,15%.
No Velho Continente, o instituto alemão GFK divulgou sua projeção para o índice de confiança do consumidor, que deve subir de 9,6 para 9,7 em dezembro, segundo a pesquisa. O resultado surpreendeu positivamente analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam que o índice ficaria estável em 9,6.
O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, subiu 0,08%, a 5.929,62 pontos. Negociadas no mercado acionário local, as ações da Louis Vuitton fecharam com valorização de 0,77%, e os papéis da Air Bus subiram 0,82%.
Em Milão, o índice FTSE MIB encerrou o dia com a alta mais elevada entre os principais índices acionários da zona do euro, de 0,34%, a 23.546,58 pontos. Em Madri, o índice Ibex 35 avançou 0,05%, a 9.324,80 pontos. Já em Lisboa, o índice PSI 20 caiu 0,13%, a 5.174,71 pontos.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia