Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 22 de novembro de 2019.
Dia do Músico.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

22/11/2019 - 16h32min. Alterada em 22/11 às 16h32min

Ouro fecha estável, após oscilar durante o pregão com EUA e China em foco

O contrato futuro de ouro fechou estável nesta sexta-feira (22) após oscilar entre ganhos e perdas durante o pregão. Os investidores continuam a monitorar as novidades sobre as negociações comerciais entre Estados Unidos e China, mas notícias conflitantes sobre a perspectiva de um acordo preliminar não deram espaço para um movimento mais claro.
O contrato futuro de ouro fechou estável nesta sexta-feira (22) após oscilar entre ganhos e perdas durante o pregão. Os investidores continuam a monitorar as novidades sobre as negociações comerciais entre Estados Unidos e China, mas notícias conflitantes sobre a perspectiva de um acordo preliminar não deram espaço para um movimento mais claro.
O ouro para dezembro fechou estável, em US$ 1.463,60 a onça-troy, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). Na comparação semanal, o contrato do ouro recuou 0,33%.
O Commerzbank afirma em relatório que o ouro tem sido apoiado recentemente pela aversão ao risco, mas nesta semana houve também dias negativo para o contrato, diante de algumas notícias positivas sobre o diálogo entre as potências.
Nesta sexta, o presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou que o acordo comercial com Pequim estaria "muito perto" e que ele interessa as duas partes. Por outro lado, voltou a fazer críticas contra o país asiático por supostamente "tirar vantagem" dos EUA.
O presidente chinês, Xi Jinping disse que a China também deseja um acordo, mas também que pode "retaliar" os americanos caso a disputa bilateral se prolongue.
No câmbio, o dólar mais forte ante outras moedas principais tende a pressionar o ouro, já que a commodity é cotada na divisa americana e nesse caso fica mais cara para os detentores de outras moedas.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia