Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de novembro de 2019.
Dia Mundial da Televisão. Dia da Homeopatia e Dia do Homeopata.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

aviação

22/11/2019 - 15h32min. Alterada em 22/11 às 15h32min

China autoriza Boeing a comprar negócios comerciais da Embraer

Há duas semanas, a Comissão Europeia paralisou a análise da aquisição no aguardo por mais documentos

Há duas semanas, a Comissão Europeia paralisou a análise da aquisição no aguardo por mais documentos


ERIC PIERMONT/AFP/JC
A China aprovou a proposta de aquisição da divisão comercial da Embraer pela Boeing, removendo outro obstáculo a um acordo ainda sob análise particular por parte dos reguladores europeus.
A China aprovou a proposta de aquisição da divisão comercial da Embraer pela Boeing, removendo outro obstáculo a um acordo ainda sob análise particular por parte dos reguladores europeus.
A transação exige que a Boeing compre 80% da unidade de aeronaves comerciais da Embraer por US$ 4,2 bilhões, com a fabricante brasileira mantendo participação de 20% da divisão que a Boeing pretende renomear Boeing Brasil - Comercial.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
"Recebemos autorização incondicional para fechar nossa transação de quase todas as jurisdições, incluindo Estados Unidos, China e Japão", afirmou a Embraer em comunicado. "Continuamos a cooperar com as jurisdições restantes enquanto avaliam nossa transação e esperamos uma solução positiva", acrescentou.
A joint venture, porém, segue com obstáculos. Há duas semanas, a Comissão Europeia paralisou a análise da aquisição no aguardo por mais documentos.
Devido à instauração da "Fase II" de análise pela Comissão Europeia, em outubro, a Embraer teve de ajustar sua expectativa para a conclusão da parceria com a Boeing. Conforme a última previsão da fabricante, o fechamento da operação deve ocorrer no início de 2020, e não mais até o fim deste ano.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia