Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de novembro de 2019.
Dia Mundial da Televisão. Dia da Homeopatia e Dia do Homeopata.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado de Capitais

Edição impressa de 21/11/2019. Alterada em 21/11 às 03h00min

Dólar à vista tem alta e fecha em R$ 4,20

Volume de negócios ficou abaixo da média de dias úteis normais

Volume de negócios ficou abaixo da média de dias úteis normais


/MARCELLO CASAL JR/ABR/JC

O dólar à vista fechou a quarta-feira (20) em alta de 0,11%, a R$ 4,2037. O dia foi marcado por feriado em São Paulo e outras praças, como Rio de Janeiro, mas houve algumas negociações com a moeda americana no mercado comercial em outros locais, como Brasília. O volume de negócios ficou em US$ 342 milhões, abaixo da média de dias úteis normais, que costuma ser em torno de US$ 1 bilhão. 

Por conta do feriado do Dia da Consciência Negra em São Paulo, e o fechamento da B3, não houve negociação na bolsa brasileira e no mercado futuro de câmbio, que movimenta volumes mais expressivos e determina as cotações no mercado à vista. Com isso, o dólar comercial subiu 0,11% para se ajustar ao referencial Ptax do Banco Central, que caiu 0,11% e ficou em R$ 4,2037.

No exterior, o dólar subiu ante moedas emergentes e fortes, com o impasse das negociações comerciais entre Estados Unidos e China. No início da tarde, a agência Reuters noticiou que um acordo não deve ser fechado este ano, o que ajudou a piorar ainda mais o humor dos investidores.

O peso mexicano e o peso chileno foram as moedas que mais perderam valor. O dólar subiu 0,77% no México e 0,45% no Chile. Nas moedas fortes, o índice DXY, que mede o comportamento do dólar ante divisas como euro, iene e libra, subiu 0,06% no final da tarde.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia