Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de novembro de 2019.
Dia Mundial da Televisão. Dia da Homeopatia e Dia do Homeopata.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

consumo

Edição impressa de 20/11/2019. Alterada em 20/11 às 08h45min

Aneel reduz em 5,06% tarifas aplicadas pela CEEE

Desconto será ainda maior para o consumidor residencial

Desconto será ainda maior para o consumidor residencial


MARCO QUINTANA/JC
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu ontem aplicar uma redução média de 5,06% nas tarifas da distribuidora de energia Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica SA (CEEE-D). A empresa atende 1,7 milhão de unidades consumidoras localizadas em 72 municípios do Estado - grande parte deles na Região Metropolitana de Porto Alegre, Litoral Norte e Zona Sul do Estado. As novas tarifas entram em vigor a partir da próxima sexta-feira, dia 22 de novembro.
A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu ontem aplicar uma redução média de 5,06% nas tarifas da distribuidora de energia Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica SA (CEEE-D). A empresa atende 1,7 milhão de unidades consumidoras localizadas em 72 municípios do Estado - grande parte deles na Região Metropolitana de Porto Alegre, Litoral Norte e Zona Sul do Estado. As novas tarifas entram em vigor a partir da próxima sexta-feira, dia 22 de novembro.
Para os consumidores residenciais, a redução será maior, de 6%. Para os atendidos pela baixa tensão, a redução média será de 5,82% e, para os consumidores de alta tensão, como shoppings e indústrias, a queda será de 3,26%.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
A Aneel disse que, ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, a Agência considera a variação de custos associados à prestação do serviço. Segundo a agência, pesou na queda de valores o pagamento antecipado de um encargo tarifário, a Conta ACR e ajustes em encargos setoriais, como a da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), o que levou a uma redução de aproximadamente 7,47% nesses encargos.
Na reunião desta terça-feira, a agência decidiu ainda aplicar um reajuste médio de 5,29% para os clientes da DME Distribuição S.A (DMED). A distribuidora atende cerca de 77,7 mil unidades consumidoras, localizadas no município de Poços de Caldas, no estado de Minas Gerais.
Para os consumidores residenciais, o aumento médio será de 1,84%. Para os clientes atendidos na baixa tensão, será de 2,05%, Para os atendidos na alta tensão, será 10,33%.
Segundo a Aneel, contribuíram para o efeito positivo, principalmente, a inclusão dos componentes financeiros apurados no atual reajuste, levando a um aumento de 13,01%, bem como custos com pagamento de encargos setoriais, que representaram queda de 5,16%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia