Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 21 de novembro de 2019.
Dia Mundial da Televisão. Dia da Homeopatia e Dia do Homeopata.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

contas públicas

Edição impressa de 19/11/2019. Alterada em 19/11 às 03h00min

Reforma tributária prevê teto para dedução de IR e união do PIS/Cofins

A estratégia de enviar uma proposta de reforma tributária de forma fatiada ao Congresso ganhou força no governo. A ideia é que o processo seja dividido em quatro fases. O primeiro passo, a unificação do PIS/Cofins, já está quase concluído e deve ser enviado nas próximas semanas.

Depois, o governo pretende encaminhar uma proposta para anexar a esse novo tributo o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A etapa seguinte incluiria uma reforma do Imposto de Renda, incluindo a criação de um limite global para deduções, ainda a ser detalhado. A última etapa seria o envio, em meados do próximo ano, de proposta relativa à desoneração da folha de salários das empresas.

Os planos da equipe econômica para a reforma tributária foram detalhados pelo secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto. De acordo com Tostes, a expectativa é enviar a proposta até semana que vem, fim de novembro. A orientação do ministro da Economia, Paulo Guedes, no entanto, é só enviar o texto quando a proposta estiver "madura". Portanto, esse prazo ainda precisa ser confirmado.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia