Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de novembro de 2019.
Dia do Inventor.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Edição impressa de 04/11/2019. Alterada em 04/11 às 03h00min

Chuvas afetam o potencial produtivo do arroz

Clima já preocupa produtores

Clima já preocupa produtores


/FEDERARROZ/DIVULGAÇÃO/JC

Novas previsões de mau tempo, para os próximos dias, no Rio Grande do Sul, podem afetar a produtividade das lavouras de arroz. Os grandes volumes de chuvas, fortes rajadas de vento e até granizo em algumas regiões dedicadas ao cultivo do cereal preocupam os produtores. Em alguns municípios, as precipitações ultrapassaram 400 milímetros em outubro.

De acordo com o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, a instabilidade do clima já está causando atraso no manejo das áreas plantadas. Citando informações do Instituto Riograndense do Arroz (Irga), o dirigente destaca que a semeadura da lavoura do Estado, até 25 de outubro, somava 48,40%. "Algumas áreas do Estado poderão ficar impedidas de aproveitar aquele que seria o melhor período para o plantio que se encerra no dia 15 de novembro", alerta.

As recentes chuvas e a expectativa de novas precipitações começam a deixar muito ajustada a janela para o melhor período recomendado à semeadura do arroz irrigado, que é até 15 de novembro para todas as regiões arrozeiras. A semeadura atingiu 76,27% na Fronteira-Oeste, 53,18% na Zona Sul, 50,45% na Campanha, 40,93% na Planície Costeira Interna, 17,19% na Planície Costeira Externa e 10,72% na Depressão Central.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia