Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 28 de outubro de 2019.
Dia do Funcionário Público. Dia de São Judas Tadeu.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Argentina

28/10/2019 - 15h34min. Alterada em 28/10 às 19h28min

Calçadistas temem volta de barreiras com vitória de Fernández na Argentina

Abicalçados diz que a vitória de Fernández 'traz novamente o fantasma de barreiras' para os produtos

Abicalçados diz que a vitória de Fernández 'traz novamente o fantasma de barreiras' para os produtos


JOÃO MATTOS/ARQUIVO/JC
A vitória dos peronistas na Argentina causou reação entre setores industriais gaúchos. O setor calçadista é um dos primeiros a emitir nota indicando que teme efeitos como a volta de barreiras às importações dos produtos brasileiros. O candidato da oposição Alberto Fernández teve a vitória oficializada nesse domingo (27) sobre o presidente Maurício Macri, de linha liberal.  
A vitória dos peronistas na Argentina causou reação entre setores industriais gaúchos. O setor calçadista é um dos primeiros a emitir nota indicando que teme efeitos como a volta de barreiras às importações dos produtos brasileiros. O candidato da oposição Alberto Fernández teve a vitória oficializada nesse domingo (27) sobre o presidente Maurício Macri, de linha liberal.  
Mesmo admitindo que é cedo para emitir "prognóstico mais definitivo", a Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), com sede em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, diz que a vitória de Fernandez "traz novamente o fantasma de barreiras aos calçados brasileiros exportados para a Argentina".  O mecanismo que já foi adotado colocava necessidade de emitir licenças e volumes para poder fazer o fluxo. 
Notícias sobre economia são importantes para você?
O presidente-executivo da entidade, Haroldo Ferreira, justifica que "é natural que exista o receio (da volta dos entraves)". O dirigente citou que no governo de Cristina Kirchner, que antecedeu Macri e é vice-presidente eleita, problemas na liberação de licenças geraram prejuízos de mais de US$ 200 milhões.
A Argentina é o segundo principal destino do calçado brasileiro, atrás apenas dos Estados Unidos. A Abicalçados informa que, entre janeiro e setembro deste ano, foram exportados ao país vizinho 7 milhões de pares, somando US$ 77,14 milhões em divisas, com recuo de 25,5% em volume e 33% em receita comparando com o mesmo período de 2018.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia