Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 22 de outubro de 2019.
Dia do Enólogo.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

22/10/2019 - 18h47min. Alterada em 22/10 às 18h47min

Bolsas de Nova Iorque fecham em queda, com noticiário corporativo e Brexit no radar

O índice Dow Jones fechou em baixa de 0,15%, em 26.788,10 pontos

O índice Dow Jones fechou em baixa de 0,15%, em 26.788,10 pontos


SPENCER PLATT/AFP/JC
As bolsas de Nova Iorque fecharam em território negativo nesta terça-feira. Os mercados acionários chegaram a abrir em alta, com balanços em foco, mas outras notícias do setor corporativo pressionaram as ações. Além disso, houve piora do quadro à tarde, em meio às dificuldades do governo do Reino Unido para avançar no processo de saída da União Europeia, o Brexit.
As bolsas de Nova Iorque fecharam em território negativo nesta terça-feira. Os mercados acionários chegaram a abrir em alta, com balanços em foco, mas outras notícias do setor corporativo pressionaram as ações. Além disso, houve piora do quadro à tarde, em meio às dificuldades do governo do Reino Unido para avançar no processo de saída da União Europeia, o Brexit.
O índice Dow Jones fechou em baixa de 0,15%, em 26.788,10 pontos, o Nasdaq teve queda de 0,72%, a 8.104,30 pontos, e o S&P 500 caiu 0,36%, a 2.995,99 pontos, perdendo a marca de 3 mil pontos.
A temporada de balanços continuou a influenciar os negócios. A ação da Procter & Gamble subiu 2,60%, após balanço que superou as expectativas, e United Technologies também mostrou resultados que agradaram, com alta de 2,21% no papel. Por outro lado, McDonald's frustrou as previsões e fechou em queda de 5,04%, pressionando o índice Dow Jones.
Além disso, outras notícias de empresas pesaram. Facebook teve baixa de 3,91%, após a procuradora-geral do Estado de Nova Iorque, Letitia James, anunciar publicamente que a lista de Estados, distritos e território que investigam a rede social por "potenciais violações antitruste" se expandiu "vastamente" pelos EUA. Papéis de tecnologia e serviços de comunicação fecharam em geral com quedas, com Microsoft em baixa de 1,49% e Twitter, de 3,91%.
Entre outras ações importantes, Boeing subiu 1,79%, recuperando em parte a perda do pregão anterior, mesmo após a agência S&P revisar a perspectiva do rating A da empresa de estável para negativa.
Na parte da tarde, o quadro piorou em Nova Iorque, em meio às notícias sobre as dificuldades do premiê Boris Johnson para avançar com o Brexit no Reino Unido. Johnson não conseguiu aval da Câmara dos Comuns para um cronograma acelerado para aprovar um acordo no Brexit e a UE deve dar mais prazo para que ele tente uma solução.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia