Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de outubro de 2019.
Dia do Contato Publicitário.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo

21/10/2019 - 12h59min. Alterada em 21/10 às 16h37min

Itens da cesta de Natal podem subir 13%, diz associação de supermercados

A previsão da Apas é de aumento de 5% das vendas no varejo alimentar

A previsão da Apas é de aumento de 5% das vendas no varejo alimentar


JC/Jornal do Comércio
Os preços de panetones, chocotones e de outros itens da cesta de Natal podem subir até 13% este ano, diz levantamento da Apas (Associação Paulista de Supermercados). A análise é baseada em produtos presentes nas lojas desde o final de setembro.
Os preços de panetones, chocotones e de outros itens da cesta de Natal podem subir até 13% este ano, diz levantamento da Apas (Associação Paulista de Supermercados). A análise é baseada em produtos presentes nas lojas desde o final de setembro.
Segundo a associação, que agrega mais de 4 mil lojas, o principal motivo do aumento de preço é a alta procura nas duas últimas semanas do ano, período de maior demanda pelos produtos. Após a data, os pães natalinos podem cair de 30% a 40% para evitar o encalhe nas lojas.
A previsão da Apas é de aumento de 5% das vendas no varejo alimentar. Já o preços do peru e do chester apresentaram queda de 13,2% no acumulado até setembro. Em novembro e dezembro, podem subir 3,5% por conta da demanda.
De acordo com Thiago Berka, economista da Apas, aqueda no valor das carnes atingiu recordes de exportação devido à alta do dólar e à crise da peste suína na China. Os cortes suínos e bovinos podem subir 1,5% e 2%, segundo a associação, alta motivada também pelo dólar.
As frutas de época como ameixa, banana-prata, cereja, coco verde, damasco, figo, framboesa, graviola, kiwi, manga, maracujá, melão, pêssego e romã terão queda 3% nos preços. Já os doces, como chocolate,devem ficar 0,7% mais caros em dezembro.
Bebidas como espumantes, vinho e cerveja devem subir 1,5%, 0,8% e 0,5%, respectivamente.
Folhapress
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia