Porto Alegre, sábado, 25 de julho de 2020.
Dia do Escritor. Dia do Motorista .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 25 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Pesquisa

- Publicada em 04h14min, 14/10/2019. Atualizada em 03h00min, 14/10/2019.

Serviços recuam 4,8% em agosto no Estado

Segmento de transportes e correio foi o que apresentou maior queda no Estado, caindo 8,9% no período

Segmento de transportes e correio foi o que apresentou maior queda no Estado, caindo 8,9% no período


/MARCELO G. RIBEIRO/JC

O volume de prestação de serviços no Rio Grande do Sul chegou a recuar 4,8% em agosto frente ao mesmo mês de 2018. Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada na sexta-feira, pelo IBGE, o desempenho do setor também foi negativo em relação a julho deste ano, com queda de 0,8%. Na semana, outros dois indicadores da atividade gaúcha também foram negativos: o da indústria e o de comércio.

O volume de prestação de serviços no Rio Grande do Sul chegou a recuar 4,8% em agosto frente ao mesmo mês de 2018. Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços, divulgada na sexta-feira, pelo IBGE, o desempenho do setor também foi negativo em relação a julho deste ano, com queda de 0,8%. Na semana, outros dois indicadores da atividade gaúcha também foram negativos: o da indústria e o de comércio.

Já é o terceiro mês consecutivo de queda no volume de serviços no Rio Grande do Sul. O percentual de queda aumentou frente a julho. No ano, o setor tem recuo de 2%, e em 12 meses, de 1,9%.

Frente a agosto de 2018, o segmento de serviços no Estado que mais sofreu foi o de transportes e correio - no grupo não tem, por exemplo, serviço de aplicativos de transporte -, com recuo de 8,9%. O setor já aparecia com o pior desempenho em julho. No ano, transportes acumulam queda de 4,1%, e, em 12 meses, de 3,5%.

Logo depois, serviços prestados às famílias apresentaram maior redução, de 7,2%, e o de profissionais, administrativos e complementares, de 2,9%. Única área que foi positiva, mas muito de leve, foi a de informação e comunicação, com alta de 0,9%. Outros serviços caíram 9,9% no mês em relação a agosto do ano passado, 10,2% desde janeiro e 9,1% em 12 meses.

No Brasil, o setor também mostra números adversos, com redução de 0,2% no confronto anual e de 1,4% na comparação com o mês anterior. Transportes tiveram maior queda por segmento frente a agosto de 2018 (-7,9%), e serviços para famílias despontam no mês a mês, com queda de 1,7%.

Veja quais são os serviços medidos pelo indicador:

Serviços prestados às famílias:

Alojamento e alimentação: hotéis e similares, outros tipos de alojamento não especificados anteriormente, restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas, serviços ambulantes de alimentação e serviços de catering, bufê e outros serviços de comida preparada.

Outros serviços prestados às famílias:

Atividades culturais e de recreação e lazer: artes cênicas, espetáculos e atividades complementares, criação artística, gestão de espaços para artes cênicas, espetáculos e outras atividades artísticas, casas de bingo, exploração de apostas em corridas de cavalo, sorteios via televisão, telefone e revistas, operação de máquinas operadas por moedas, jogos de azar e apostas pela internet, parques de diversão e parques temáticos, discotecas, danceterias, salões de danças e similares

Atividades esportivas: gestão de instalações esportivas para a organização de eventos esportivos e práticas de esportes, atividades de condicionamento físico, produção e promoção de eventos esportivos

Serviços pessoais e de educação não continuada:

lavanderias, tinturarias, toalheiros, aluguel de roupas, cama e mesa, uniformes, etc, cabeleireiros, barbeiros, salões de beleza e outras atividades de tratamento de beleza, atividades funerárias e serviços relacionados, atividades de serviços pessoais não especificados anteriormente, administração de caixas escolares, gestão, assessoria, consultoria, etc, ensino de esporte em escolas esportivas ou por professores independentes, ensino de arte e cultura, ensino de idiomas em cursos especializados e atividades de ensino não especificadas anteriormente.

Serviços de informação e comunicação:

1. Serviços de Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC): telecomunicações, serviços de tecnologia da informação.

2. Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias: serviços audiovisuais, edição e edição integrada à impressão e agências de notícias e outros serviços de informação.

Serviços profissionais, administrativos e complementares:

1. Serviços técnico profissionais: Atividades jurídicas, de contabilidade e de consultoria empresarial.

Comentários CORRIGIR TEXTO