Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de outubro de 2019.
Dia Mundial dos Correios.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Aviação

09/10/2019 - 16h13min. Alterada em 09/10 às 16h26min

Demanda aérea de carga aérea recua 3,9% em agosto no mundo

Aeroportos de países emergentes como o Brasil têm desempenho pior que o dos desenvolvidos

Aeroportos de países emergentes como o Brasil têm desempenho pior que o dos desenvolvidos


GERALDO BUBNIAK/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/JC
A demanda global por transporte aéreo de carga, medida em quilômetros por toneladas (FTKs, na sigla em inglês), mostrou contração de 3,9% em agosto em relação a igual mês de 2018, conforme levantamento da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). Esta é a décima baixa consecutiva nessa base de comparação, a sequência mais longa de quedas desde a crise financeira de 2008.
A demanda global por transporte aéreo de carga, medida em quilômetros por toneladas (FTKs, na sigla em inglês), mostrou contração de 3,9% em agosto em relação a igual mês de 2018, conforme levantamento da Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês). Esta é a décima baixa consecutiva nessa base de comparação, a sequência mais longa de quedas desde a crise financeira de 2008.
Já a oferta mundial no segmento, medida em toneladas-quilômetro disponíveis (AFTKs na sigla em inglês), cresceu 2,0% em agosto no comparativo anual. Com isso, o avanço da oferta superior o da demanda pelo 16º mês seguido.
O transporte aéreo de carga continua enfrentando dificuldades com a piora da disputa comercial entre EUA e China, com a fraqueza de alguns dos principais indicadores econômicos, além do aumento das incertezas políticas em todo o mundo. Nos países emergentes, mais sensíveis às turbulências, o comércio tem apresentado desempenho pior que o dos países desenvolvidos durante a maior parte de 2019.
Na abertura por regiões, as aéreas da Ásia-Pacífico e do Oriente Médio mostraram as maiores contrações da demanda por carga em agosto. Na América Latina, a queda do indicador foi de 0,1% na comparação com igual mês de 2018, movimento que pode ser atribuído à fraqueza do crescimento econômico e à volatilidade cambial na região, afirma a associação.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia