Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de outubro de 2019.
Dia Mundial dos Correios.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Bancos

09/10/2019 - 14h19min. Alterada em 09/10 às 14h59min

BNDES aprova empréstimo de R$ 1,76 bilhão para linha de transmissão no RS

Projeto de escoamento terá investimento total de R$ 2,24 bilhões

Projeto de escoamento terá investimento total de R$ 2,24 bilhões


ARQUIVO/AGÊNCIA BRASIL/JC
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta quarta-feira (9) a aprovação de um empréstimo de R$ 1,76 bilhão para a Chimarrão Transmissora de Energia, concessionária da linha de transmissão de 1,2 mil quilômetros que escoará a produção de parques de geração de energia eólica no Rio Grande do Sul.  
O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta quarta-feira (9) a aprovação de um empréstimo de R$ 1,76 bilhão para a Chimarrão Transmissora de Energia, concessionária da linha de transmissão de 1,2 mil quilômetros que escoará a produção de parques de geração de energia eólica no Rio Grande do Sul.  
A Chimarrão Transmissora de Energia é uma sociedade da Cymi Construções e Participações, do grupo espanhol ACS, e do fundo de investimentos em participações Brasil Energia, do grupo canadense Brookfield, informou o BNDES. A concessão foi obtida em leilão de dezembro de 2018. Na semana passada, o grupo anunciou que antecipará a implantação para este ano ainda.
O investimento total do projeto é de R$ 2,24 bilhões, segundo o BNDES. Os 1,2 mil quilômetros da linha de transmissão cruzarão 43 municípios gaúchos, escoando 6.475 megawatts (MW). De acordo com o BNDES, essa energia é suficiente para abastecer aproximadamente 12 milhões de famílias.
O financiamento do BNDES foi estruturado com prazo de 24 anos, incluindo carência. Serão financiadas as obras civis e a aquisição de materiais e equipamentos nacionais necessários para a implantação do empreendimento.
Devem ser gerados cerca de 9.450 empregos diretos e indiretos durante as obras e 175 após sua conclusão, prevista para o primeiro semestre de 2022, segundo o BNDES.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia