Porto Alegre, sábado, 25 de julho de 2020.
Dia do Escritor. Dia do Motorista .

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 25 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Combustíveis

- Publicada em 16h25min, 24/09/2019. Atualizada em 16h25min, 24/09/2019.

Gasolina fica 6% mais barata na Região Sul

Agosto foi um período de baixa nos preços de combustíveis, com exceção de GNV e etanol

Agosto foi um período de baixa nos preços de combustíveis, com exceção de GNV e etanol


/MARCELO G. RIBEIRO/JC
Os motoristas da Região Sul pagaram mais barato pela gasolina, mas viram o preço do etanol avançar nas bombas, revela o levantamento de agosto do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). Com exceção do etanol, que tem na região o litro mais caro do País, registrado no Rio Grande do Sul (R$ 4,109), o preço dos combustíveis recuou em todos os estados, e tem como destaque os menores valores do Brasil para o diesel comum, S-10 e também para a gasolina, que ficou 6% mais barata.
Os motoristas da Região Sul pagaram mais barato pela gasolina, mas viram o preço do etanol avançar nas bombas, revela o levantamento de agosto do Índice de Preços Ticket Log (IPTL). Com exceção do etanol, que tem na região o litro mais caro do País, registrado no Rio Grande do Sul (R$ 4,109), o preço dos combustíveis recuou em todos os estados, e tem como destaque os menores valores do Brasil para o diesel comum, S-10 e também para a gasolina, que ficou 6% mais barata.
"A alta variação de preços continua a chamar atenção nos postos do Sul, é a segunda mais alta de todo o território nacional. No caso do etanol, a diferença chega a 42%, quando se compara a média do litro vendido no Paraná, de R$ 2,885, com a do Rio Grande do Sul, de R$ 4,109. A gasolina, mesmo com a baixa nos preços, também registrou variação acima dos 10%, em agosto", comenta o diretor-geral de Frota e Soluções de Mobilidade da Edenred Brasil, Jean-Urbain Hubau (Jurb).
No recorte regional, os postos gaúchos seguem no topo do ranking dos maiores preços para todos os tipos de combustíveis. Já Santa Catarina apresentou o valor médio da gasolina mais barata, com o litro vendido a R$ 4,025, que também é a menor média nacional para o combustível. No Paraná, foram encontrados os valores mais baixos para etanol, diesel comum e diesel S-10, comercializados a R$ 2,885, R$ 3,312 e R$ 3,387, respectivamente.
No contexto nacional, com exceção do etanol e do gás natural veicular (GNV), foi um período de baixa no preço dos combustíveis nos postos de todo o País. Em agosto, o litro da gasolina registrou o recuo mais expressivo (1%), com o litro vendido a R$ 4,50, ante os R$ 4,544 de julho. 
Já o etanol, ficou 0,2% mais caro (R$ 3,54) e destaca-se pela variação de preços, que chega a 17%, quando a média da Região Centro-Oeste (R$ 3,103) é comparada com a da Região Norte (R$ 3,761). O GNV apresentou alta de 0,32%, comercializado a R$ 3,346, ante os R$ 3,336 do mês anterior.
Na capital gaúcha, abastecer com gasolina na Zona Sul sai mais barato. A diferença chega a 1,5%, com o litro vendido a R$ 4,419, ante os R$ 4,485 dos postos do Centro. Já na Zona Leste, o etanol foi mais vantajoso, com média de R$ 3,987, ante os R$ 4,07 da Região Central. O IPTL também revela que as análises das principais regiões da cidade mostram que, pelas médias contabilizadas, a gasolina manteve a margem de vantagem acima dos 70% do preço médio do etanol, uma opção mais econômica para os motoristas.
Comentários CORRIGIR TEXTO