Porto Alegre, domingo, 26 de julho de 2020.
Dia dos Avós.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
domingo, 26 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Agronegócios

- Publicada em 03h05min, 16/09/2019. Atualizada em 03h00min, 16/09/2019.

Egito abre mercado para produtos lácteos brasileiros

Tereza Cristina se reuniu com o secretário-geral da Liga dos Estados Árabes, embaixador Ahmed Aboul Gheit

Tereza Cristina se reuniu com o secretário-geral da Liga dos Estados Árabes, embaixador Ahmed Aboul Gheit


MAPA/DIVULGAÇÃO/JC

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, informou neste domingo (15) que, após o Brasil ter conseguido no sábado (14) a abertura do mercado do Egito para produtos lácteos nacionais, o País deverá autorizar a importação de uva e alho egípcios.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, informou neste domingo (15) que, após o Brasil ter conseguido no sábado (14) a abertura do mercado do Egito para produtos lácteos nacionais, o País deverá autorizar a importação de uva e alho egípcios.

Tereza Cristina se reuniu neste domingo no Cairo com o ministro da Agricultura e Recuperação de Terras do Egito, Ezz el-Din Abu Steit. Na pauta do encontro também esteve a importação de laranjas pelo Brasil e o envio de caprinos e ovinos para o Egito, medida que, segundo o Ministério, pode beneficiar o Nordeste brasileiro, onde há um centro avançado de pesquisas da Embrapa sobre a atividade, em Sobral (CE).

"Durante muitos anos ficamos fechados, o Brasil agora tem pressa por essa abertura de mercado", disse a ministra. Já o ministro egípcio disse que seu país tem a intenção de aumentar as importações de produtos agropecuários brasileiros, bem como incrementar a parceria na área de pesquisa. Os dois países estão revisando protocolo de parceria entre a Embrapa e o Centro de Pesquisas do Egito.

No Cairo, a ministra brasileira participou de seminário com empresários na Federação das Câmaras Egípcias de Comércio. O presidente da Federação das Câmaras Egípcias de Comércio, Ibrahim Al- Arabi, disse que 11% dos produtos alimentícios consumidos no Egito são provenientes do Brasil. Para ele, é preciso fortalecer a logística e o transporte para ampliar a relação bilateral. Tereza Cristina se reuniu também com o secretário-geral da Liga dos Estados Árabes, embaixador Ahmed Aboul Gheit.

Desde o dia 11 deste mês, a ministra realiza visitas a quatro países do Oriente Médio: Egito, Arábia Saudita, Kuwait e os Emirados Árabes Unidos. A viagem se encerra no dia 23 deste mês.

Comentários CORRIGIR TEXTO