Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 11 de setembro de 2019.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

varejo

Alterada em 11/09 às 10h21min

Vendas do comércio crescem 1% em julho; desempenho gaúcho acompanha alta

Atividades como supermercados tiveram alta nas vendas no País

Atividades como supermercados tiveram alta nas vendas no País


ANTONIO PAZ/ARQUIVO/JC
O volume de vendas do comércio varejista cresceu 1% na passagem de junho para julho deste ano, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada nesta quarta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o terceiro resultado positivo do indicador, que acumula alta de 1,6% no período. O volume de vendas também cresceu 4,3% na comparação com julho do ano passado, 1,2% no acumulado do ano e 1,6% no acumulado de 12 meses. 
O volume de vendas do comércio varejista cresceu 1% na passagem de junho para julho deste ano, segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada nesta quarta-feira (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o terceiro resultado positivo do indicador, que acumula alta de 1,6% no período. O volume de vendas também cresceu 4,3% na comparação com julho do ano passado, 1,2% no acumulado do ano e 1,6% no acumulado de 12 meses. 
No Rio Grande do Sul, o setor cresceu 1,9% ante junho e 8,5% frente a julho de 2018. O setor também mostrou alta de 3,3% no acumulado do ano e de 3,7% em 12 meses.
Sete das oito atividades pesquisadas tiveram alta nas vendas no País em julho, com destaque para supermercados, alimentos, bebidas e fumo (1,3%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,2%) e móveis e eletrodomésticos (1,6%). Também apresentaram crescimento tecidos, vestuário e calçados (1,3%), artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (0,7%), combustíveis e lubrificantes (0,5%) e livros, jornais, revistas e papelaria (1,8%).
Apenas a atividade de equipamentos e material para escritório, informática e comunicação teve queda em julho (-1,6%).
No varejo ampliado, que também analisa os setores de veículos e materiais de construção, o volume de vendas cresceu 0,7%. O setor de materiais de construção cresceu 1,1%, mas a atividade de veículos, motos e peças recuou 0,9%. O segmento também teve alta de 7,6% na comparação com julho de 2018, 3,8% no acumulado do ano e 4,1% no acumulado de 12 meses.
No Rio Grande do Sul, o comércio ampliado mostrou crescimento de 5,9% ante julho de 2018, de 4,1% no acumulado do ano e de 5,1% em 12 meses. Já na comparação na passagem de junho para julho, houve queda de 1,4%. 
A receita nominal do varejo do País cresceu 1% na comparação com junho, 6,7% na comparação com julho do ano passado, 4,9% no acumulado do ano e 5,4% no acumulado de 12 meses. Já a receita do varejo ampliado cresceu 0,3% na comparação com junho, 9,5% na comparação com julho de 2018, 6,8% no acumulado do ano e 7,2% no acumulado de 12 meses. 
Com informações da Agência Brasil
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia